10:44 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)
    8482
    Nos siga no

    Confinados em casa ou desafiando a quarentena em plena rua, italianos queimam bandeiras da UE em sinal de protesto contra a alegada falta de solidariedade europeia.

    Enquanto a Europa dá as costas à Itália em plena pandemia da COVID-19, alguns italianos tomaram medidas, queimando simbolicamente a bandeira da União Europeia e concluindo o ato com a frase: "ci salviamo da soli" ("Vamos nos salvar sozinhos").

    #VamosNosSalvarSozinhos #RadioSavana

    Bandeiras da UE de tecido, de papel, ou mesmo impressas em casa por computador, tudo serve para mostrar desagrado face à inação das instituições europeias, já havendo quem apele a um Italexit, inspirando-se no Brexit.

    A União Europeia mostra aquilo que sempre foi: um covil de usurários interessados apenas no nosso dinheiro. Não existe nenhuma solidariedade europeia, apenas traição. Vamos pôr um fim neste pesadelo.
    Nós italianos #VamosNosSalvarSozinhos

    A Itália, que registrou cerca de 100.000 casos e aproximadamente 11.000 mortes, permanece o país mais afetado pela pandemia.

    #FrancescoAmodeo: "A Europa é uma casa em chamas. Quanto mais tempo ficarmos lá dentro, mais colocamos os nossos cidadãos em risco. Só podemos apelar ao nosso orgulho e à nossa dignidade e declarar que nós, italianos #VamosNosSalvarSozinhos"

    Macron denuncia egoísmo europeu

    Em declarações à mídia, em 28 de março, o presidente francês alertou para a falta de solidariedade europeia face à proliferação do vírus, garantindo estar a França do lado dos italianos e se afirmando preocupado com uma Europa "egoísta e dividida".

    O premiê italiano, Giuseppe Conte, tem apelado repetidamente à União Europeia para fazer tudo o que estiver ao seu alcance a fim de ajudar seu país.

    Em reunião do Conselho Europeu em 26 de março, Conte, apoiado pelos países do sul, propôs a criação de "coronabonds" que mutualizariam a dívida dos Estados membros. Vários países do norte da Europa, liderados pela Alemanha, refutaram esta opção, não chegando o conselho a nenhum acordo sobre as medidas de apoio econômico para lidar com os efeitos da pandemia.

    Vale recordar que Rússia, China e Cuba responderam ao apelo de ajuda das autoridades italianas, cujo sistema de saúde entrou em colapso, enviando pessoal médico, enfermeiros, técnicos auxiliares de saúde e muito material diverso.

    Tema:
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)

    Mais:

    Trump: 100-200 mil mortes nos EUA por coronavírus seria um 'bom' resultado
    Coronavírus: China envia à Venezuela especialistas na contenção da pandemia
    Quase metade dos infectados por coronavírus em Moscou tem entre 18 e 40 anos
    Tags:
    COVID-19, pandemia, União Europeia, União Europeia, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar