23:53 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1411
    Nos siga no

    Alta responsável do governo britânico revelou a existência de uma unidade de contrainteligência inaudita, sediada na MI5, que teria sido criada em 2017.

    A secretária de Estado do Departamento do Interior, Priti Patel, confirmou publicamente a existência de uma unidade anteriormente desconhecida, chamada Equipe Conjunta de Avaliação de Ameaças ao Estado (JSTAT, na sigla em inglês), relata o portal Foreign Affairs.

    Diz-se que a unidade está instalada na Thames House em Londres, sede da agência nacional de contraespionagem e segurança do Reino Unido, MI5.

    A unidade, que opera com um nível de independência do MI5 dentro de seu edifício, consiste de especialistas em inteligência que aconselham o governo sobre ameaças potenciais por parte de atores estatais hostis, incluindo espiões, assassinos e hackers estrangeiros que procurem perturbar eleições no Reino Unido ou realizar ciberataques.

    Diz-se que a JSTAT foi criada em 2017 sob o governo da então primeira-ministra Theresa May. Seus poderes incluíam aconselhar o premiê sobre potenciais poderes adicionais que poderiam ser necessários se uma ameaça surgir, incluindo uma avaliação da legislação relevante do Reino Unido sobre atribuição de poderes adicionais ao governo.

    A equipe da JSTAT está subordinada a um conselho de governadores composto por altos funcionários de inteligência e funcionários de outras agências governamentais, assim como pelo diretor-geral do MI5, Andrew Parker, que se diz ter autoridade máxima sobre a organização.

    Em uma declaração de terça-feira (17), Patel disse que, enquanto o Reino Unido continua "a enfrentar [uma ameaça] muito real e séria de Estados que procuram minar e desestabilizar este país para prosseguir suas próprias agendas", a JSTAT "melhorou nossas capacidades e compreensão das ameaças estatais que enfrentamos", ajudando a proteger o Reino Unido e os seus interesses, tanto no país como no estrangeiro.

    A secretária de Estado do Interior não especificou quais as ameaças estatais que a unidade estava procurando.

    A decisão de desvendar a existência da unidade teria sido baseada no esforço de "maximizar sua utilidade para a comunidade de segurança nacional, permitindo um maior envolvimento com as partes interessadas, a indústria e os acadêmicos".

    "Isso também permitirá uma comunicação mais ampla das ameaças aos departamentos e agências governamentais, bem como aos parceiros dos sectores privado e caritativo, garantindo-lhes o acesso à informação para se protegerem melhor."

    Serviços de inteligência britânicos

    O MI5 é um elemento importante dos serviços de inteligência do Reino Unido, que também incluem o Serviço Secreto de Inteligência (MI6), o serviço de inteligência estrangeira do país, bem como a Inteligência de Defesa (DI, na sigla em inglês) e a Sede de Comunicações do Governo (GCHQ, na sigla em inglês).

    Em fevereiro, Patel tinha pedido uma investigação a "instruções hostis" dos altos responsáveis no seu departamento em meio a alegações de que os chefes de inteligência do MI5 não confiariam nela porque alegadamente "não compreende as sutilezas da inteligência".

    Mais:

    Huawei não é ameaça a laços com inteligência dos EUA, diz chefe do MI5 britânico
    Seria 'extraordinário' se não existisse vida extraterrestre, afirma ex-chefe do MI6
    Theresa May elogia militares britânicos por defender Reino Unido da Rússia
    Tags:
    secretário de Estado, Theresa May, Reino Unido, MI6, MI5
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar