20:07 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    3351
    Nos siga no

    O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciou na noite desta segunda-feira que o governo irá restringir os deslocamentos em todo o país por conta do surto do novo coronavírus, cancelando todos os eventos públicos.

    Inicialmente, essa espécie de quarentena coletiva havia sido imposta apenas nas regiões mais afetadas pela COVID-19, no norte. Mas, a partir desta terça-feira, passará a valer para todo o país, o mais afetado pela epidemia na Europa.

    ​Declarações à imprensa do presidente [do Conselho de Ministros] Giuseppe Conte, ao vivo, do Palácio Chigi.

    De acordo com o premiê italiano, a população do país deve evitar os deslocamentos sempre que possível, com exceções para três circunstâncias: "comprovada razão de trabalho", caso de grande "necessidade" ou "motivos de saúde". 

    "Toda a Itália será uma zona protegida", afirmou.

    Com 9.172 casos confirmados, a Itália é o segundo país mais atingido pelo surto do novo coronavírus, que vem trazendo preocupações para a comunidade internacional desde o final do ano passado, quando o vírus foi descoberto, na China. O país europeu só perde também para o gigante asiático em número de vítimas fatais, com 463 mortes computadas até o momento.

    Em todo o mundo, a COVID-19 já foi confirmada em 114.231 pessoas e matou 4.005. Outras 62.834 conseguiram se recuperar da doença.

    Mais:

    UEFA proíbe apertos de mão em partidas de futebol para evitar contágio de coronavírus
    Coronavírus: especialista da ONU pede que Coreia do Norte aceite ajuda externa
    Crise de coronavírus pode custar ao mundo US$ 2 trilhões, afirma ONU
    Tags:
    saúde, Europa, COVID-19, doença, vírus, novo coronavírus, Itália, Giuseppe Conte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar