00:27 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2101
    Nos siga no

    A Força Aérea da Alemanha é responsável por disparar armas atômicas dos EUA em caso de conflito nuclear. Mas, enquanto sua frota de caças Tornado se aproxima da aposentadoria, Berlim ainda debate o que irá substitui-los.

    Como parte do Acordo de Partilha Nuclear, assinado entre a Alemanha e os EUA nos tempos da Guerra Fria, a Alemanha é responsável pelo transporte de bombas nucleares em caso de conflito.

    No entanto, a frota de jatos nucleares do país, composta por caças Tornado, está se aproximando do fim de sua vida útil, que está garantida somente até 2025.

    Conforme as peças de reposição se tornam escassas, os custos de manutenção da frota aumentam a cada ano.

    "O aumento [do custo de manutenção] a cada ano é brutal", disse um parlamentar à mídia local DW.

    Um documento do Ministério da Defesa da Alemanha aponta que em 2018 Berlim gastou cerca de US$ 562 milhões (cerca de R$ 2,3 bilhões) para manter sua frota. Em 2020, o custo pode chegar à US$ 699 milhões (cerca de R$ 2,9 bilhões).

    A grande causa do aumento é a perda gradual de aviões. Anteriormente, a frota contava com cerca de 350 aviões. Conforme as aeronaves perdiam a vida útil, suas peças eram reutilizadas nas aeronaves operantes.

    Atualmente, com somente 85 aeronaves restantes, os custos para produzir peças de reposição aumenta drasticamente.

    Três opções: F-35, F/A-18 ou Eurofighter

    De acordo com a DW, os legisladores alemães estão divididos sobre quais aeronaves deveriam substituir os Tornados.

    Enquanto um grupo prefere a compra dos caças norte-americanos F-35, produzidos pela Lockheed Martin, outro acredita que a Alemanha deve contribuir para o projeto europeu de desenvolvimento do caça Eurofighter.

    A Alemanha e a França coordenam um projeto de desenvolvimento de caças conjunto, realizado pela montadora Airbus.

    Caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter
    © AP Photo / Martin Meissner
    Caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter

    Mas o projeto ainda está em desenvolvimento e sua conclusão poderia demorar anos.

    Por outro lado, o F-35 norte-americano providencia cadeia de manutenção completa das aeronaves, além de programas rápidos de treinamento de pilotos.

    No entanto, um parlamentar lembrou que os F-35 vêm com a chamada "caixa preta", instrumento capaz de coletar informações à revelia do comprador.

    "Nunca sabemos quais informações ou dados podem estar sendo enviados para os EUA", disse um membro do Bundestag.

    Solução intermédia?

    Uma opção para substituir a frota de Tornados seria adquirir caças norte-americanos F/A-18, produzidos pela Boeing, e caças Eurofighter.

    A solução poderia, no entanto, prejudicar o desenvolvimento do projeto europeu, além de criar poucos empregos locais nas áreas de engenharia e desenvolvimento técnico.

    F/A-18F Super Hornet e KC-135 Stratotanker da Força Aérea dos EUA
    F/A-18F Super Hornet e KC-135 Stratotanker da Força Aérea dos EUA

    A decisão, no final das contas, deverá ser tomada pela coalizão governante, liderada pela chanceler Angela Merkel.

    O partido que é seu parceiro de coalizão pode estar adiando a decisão final, uma vez que a manutenção de armas norte-americanas no país é um assunto bastante sensível para a opinião pública.

    Enquanto isso, a Força Aérea da Alemanha espera ansiosa por uma solução: "Só queremos uma aeronave que cumpra o seu papel", disse um piloto dos Tornado à DW. "Mas o tempo está se esgotando."

    Mais:

    Militares dos EUA são encontrados mortos em dormitório de base na Alemanha
    Por que os helicópteros das Forças Armadas da Alemanha não estão em condições de voar?
    Alemanha contraria EUA e decide retirar parte de suas tropas do Iraque, segundo mídia
    Tags:
    Tornado, F-35, armas nucleares, caças, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar