23:52 08 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    671
    Nos siga no

    A Organização do Tratado do Atlântico Norte tem estado gravemente dividida e está piorando ainda mais com o tempo, afirmou a ex-ministra austríaca das Relações Exteriores, Karin Kneissl.

    "As alianças correspondem a interesses de um determinado período, e quando elas caem, surge a questão da relevância da organização. Penso que a OTAN tem estado preocupada com esta questão há anos. Se voltarmos a 2002-2003, o início da Guerra do Iraque, a OTAN estava à beira da implosão. A OTAN está extremamente fraturada, e isso tem vindo a se agravar desde então", disse Kneissl.

    Os dirigentes da OTAN posando para a foto de família durante a cúpula anual dos chefes de Governo da Aliança, no Grove Hotel em Watford, Reino Unido, 4 de dezembro de 2019
    © REUTERS / Jeremy Selwyn / Pool
    Os dirigentes da OTAN posando para a foto de família durante a cúpula anual dos chefes de Governo da Aliança, no Grove Hotel em Watford, Reino Unido, 4 de dezembro de 2019

    Ela também comentou a observação do presidente francês Emmanuel Macron, que disse que a OTAN se encontra em "morte cerebral".

    "Eu penso que a morte cerebral é ainda pior do que a simples morte. E esta declaração é pior do que a do [presidente Donald] Trump, que afirmou que a OTAN é obsoleta", observou Kneissl.

    Kneissl foi diplomata de topo no governo austríaco de Sebastian Kurz de 2017 a 2019. Ela passou por um considerável escrutínio da mídia quando o presidente russo Vladimir Putin participou de seu casamento no ano passado.

    Mais:

    OTAN existe para vender armas e empregar burocratas em Bruxelas, declara senador dos EUA
    Secretário da OTAN elogia Rússia e sinaliza disposição para encontro com Putin
    Após anos de atraso, OTAN recebe drones espiões produzidos nos EUA
    Rússia está preparada para repelir a eventual agressão da OTAN, afirma senador russo
    Tags:
    Donald Trump, Áustria, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar