17:16 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    8240
    Nos siga no

    União Europeia poderá impor tarifas aos produtos dos EUA e outros rivais, caso se recusem a utilizar mecanismos de soluções de controvérsias. Medida é reação à obstrução dos EUA, que desaparelhou o principal tribunal comercial do mundo nesta semana.

    A Comissão Europeia, órgão que coordena a política comercial dos 28 países da União Europeia (UE), propôs mudanças na sua legislação para enfrentar disputas comerciais sem o auxílio do órgão de apelação da Organização Mundial do Comércio (OMC).

    A mais alta corte comercial do mundo, o órgão de apelação da OMC, está paralisada desde o início desta semana, depois dos repetidos bloqueios à nomeação de juízes efetuada pelos EUA tendo deixado a corte sem quórum para atuar. A corte não tem previsão para voltar a operar.

    A sede da Organização Mundial do Comércio, em Genebra, na Suíça
    © REUTERS / Denis Balibouse
    A sede da Organização Mundial do Comércio, em Genebra, na Suíça

    A Comissão Europeia já fez acordos com Canadá e Noruega para que as disputas sejam revistas por antigos membros do órgão de apelação, o que é permitido pelas regras da OMC.

    Com apoio da nova legislação, a União Europeia poderia calcular qual o dano que uma determinada tarifa causou ao seu comércio e impor contramedidas na forma de quotas e demais barreiras. Atualmente, o cálculo das contramedidas é atribuição da OMC.

    A UE aguarda decisão do tribunal da OMC sobre disputas com Rússia, China e Estados Unidos, e iniciou recentemente novas disputas contra Colômbia, Índia, Indonésia e Turquia.

    Na semana passada, o diretor-geral da organização, o brasileiro Roberto Azevêdo, alertou que sem o tribunal "há maior possibilidade de governos tomarem as rédeas e retaliarem" durante disputas comerciais, o que pode levar a "escalada" e guerras comerciais.

    O Brasil utilizou ativamente o órgão de solução de controvérsias da OMC em casos emblemáticos, como a disputa entre as montadoras de aviões Embraer e Bombardier.

    Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC
    © AFP 2019 / Tobias Schwarz
    Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC

    O Brasil saiu vitorioso em diversas ocasiões, como no caso do algodão, no qual Brasília acusou Washington de praticar subsídios ilegais na sua produção da commodity. O tribunal da organização deu ganho de causa ao Brasil em outubro de 2014.

    Mais:

    Até quando vai durar a guerra comercial entre EUA e China? Banqueiro avalia
    'Tarifas de Trump podem unir Brasil e Argentina apesar das diferenças', segundo analista
    EUA impõem tarifas recorde de US$ 7,5 bilhões sobre importações da União Europeia
    Tags:
    guerra comercial, tarifas, Comissão Europeia, União Europeia, EUA, OMC
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar