04:32 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, durante um debate sobre a última cúpula da UE e o Brexit no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, 22 de outubro de 2019

    Chefe do Conselho Europeu considera Rússia 'um problema estratégico da Europa'

    © REUTERS / Vincent Kessler
    Europa
    URL curta
    1019
    Nos siga no

    Donald Tusk diz que "teve de recordar quase todas as semanas aos dirigentes da UE que a Rússia não é nosso parceiro estratégico".

    Donald Tusk, que vai cessar a chefia do Conselho Europeu em 1º de dezembro, não considera a Rússia um "parceiro estratégico da Europa", escreveu o diário Financial Times.

    "Tinha de recordar publicamente aos outros dirigentes da UE, quase todas as semanas, que a Rússia não é nosso parceiro estratégico, mas sim nosso problema estratégico. Eu fui até mesmo apelidado de maníaco por ser tão focado nesse tópico", disse o político.

    Segundo ele, um dos seus principais objetivos como chefe do Conselho Europeu era preservar a "unidade da UE", dificultada pela "política agressiva do Kremlin".

    Ele sublinhou que considera que uma posição dura em relação à Rússia é a posição correta, tendo igualmente salientado "os benefícios das sanções".

    O cientista político e jornalista Yuri Svetov comentou esta afirmação:

    "Eu também chamaria de maníaco o sr. Tusk, obcecado em transformar a Rússia em um inimigo o tempo todo. Tusk devia representar os interesses de toda a Europa, mas ele defende no seu posto os interesses da parte mais fanática da sociedade polonesa, obcecada no confronto com a Rússia."

    O presidente do Conselho Europeu será substituído em 1º de dezembro pelo atual premiê belga, Charles Michelle.

    Mais:

    EUA impõem tarifas recorde de US$ 7,5 bilhões sobre importações da União Europeia
    União Europeia aprova adiamento do Brexit até 31 de janeiro de 2020
    Reino Unido e União Europeia chegam a novo acordo do Brexit
    Tags:
    Rússia, Conselho Europeu, Donald Tusk
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar