16:02 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    MIke Pompeo responde às declarações do presidente francês Emmanuel Macron sobre 'morte cerebral' da OTAN, em conferência de imprensa na Alemanha, em 7 de novembro de 2019

    'Morte cerebral' da OTAN gera avalanche de perguntas a Mike Pompeo

    © AP Photo / Jens Meyer
    Europa
    URL curta
    5244
    Nos siga no

    Conferência de imprensa concedida ao lado do ministro das Relações Exteriores da Alemanha, que deveria focar nas comemorações da queda do Muro de Berlim, é dominada pela declaração de Macron sobre a "morte cerebral" da OTAN.

    O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, se reuniu com o seu homólogo alemão, Heiko Maas, em Leipzig, na Alemanha, no âmbito das comemorações do 30º aniversário da queda do Muro de Berlim, conforme reportou a Reuters.

    A intenção das comemorações, envolvidas em uma aura de nostalgia e triunfalismo, era reiterar a correlação entre a queda do muro e a primazia militar da OTAN no final da Guerra Fria.

    Pompeo, inclusive, recordou sua experiência como um dos 300.000 soldados estacionados na Alemanha no final da década de 1980. Na época, o secretário de Estado participou de missões de patrulhamento do antigo muro e depois serviu como comandante de brigada de tanques em uma base na Bavária.

    Secretario de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, durante comemorações da queda do muro de Berlim, em 7 de novembro de 2019
    © REUTERS / John Macdougall
    Secretario de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, durante comemorações da queda do muro de Berlim, em 7 de novembro de 2019
     

    "Podemos dizer que eu testemunhei um pouco da história, da qual eu tive uma pequenina participação na década de oitenta", disse o secretário.

    'Morte cerebral' da OTAN

    Porém, o clima de nostalgia foi interrompido pelas declarações do presidente francês Emmanuel Macron, nesta quinta-feira (07), em entrevista à The Economist, de que a OTAN estaria sofrendo de "morte cerebral". Pompeo rebateu as críticas:

    "A OTAN continua sendo crucial, historicamente deve ser uma das parcerias estratégicas mais relevantes de que se tem registro", disse.

    Durante a visita, o secretário de Estado pressionou sua aliada, a Alemanha, a atingir a meta de 2% do PIB em gastos de defesa, estipulada pela OTAN. Heiko Maas se comprometeu a cumprir a meta, mas foi mais conciso ao comentar as declarações de Macron.

    "Eu não acho que a OTAN esteja sofrendo de morte cerebral", resumiu o ministro.  

    Mais:

    EUA comunicam que terras ricas em petróleo na Síria servirão de base americana
    EUA querem que Seul pague US$ 4,7 bi para cobrir custos de seus militares na Coreia do Sul
    Macron isola os EUA? China e França fecham acordo de US$ 15 bi e aproximam posições
    Tags:
    Heiko Maas, Alemanha, Emmanuel Macron, Mike Pompeo, OTAN, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar