08:35 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Boris Johnson, 14 de julho de 2016

    Parlamentares britânicos aprovam antecipação das eleições para dezembro

    © REUTERS / Andrew Matthews/Pool
    Europa
    URL curta
    230
    Nos siga no

    Após longo período de incerteza, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, conseguiu apoio dos parlamentares britânicos para realizar eleições antecipadas em 12 de dezembro. 

    A decisão chega logo após a União Europeia (UE) garantir um extensão do prazo para a saída do Reino Unido do bloco, que estava prevista para 31 de outubro. Essa é a terceira vez que a UE concede uma prorrogação para o Brexit, que agora vence em 31 de janeiro. 

    Johnson pediu a realização de eleições após seu acordo de última hora estabelecendo as regras do divórcio com a UE ser rejeitado pelo parlamento, que considerou o tempo estipulado (três dias) para analisar o texto curto demais. 

    O primeiro-ministro vem perdendo votações no legislativo desde que assumiu o poder, mas dessa vez ele conseguiu aprovar a antecipação do pleito por 438 a 20 na Câmara dos Comuns. Agora, o projeto segue para a Câmara dos Lordes. 

    "É tempo de unir o país e cumprir com o Brexit", afirmou o premiê após se reunir com deputados do Partido Conservador, segundo publicado pela agência Reuters.  

    Antes, Johnson criticou o parlamento, afirmando que a casa criava dificuldades com o Brexit, o que prejudicava a economia e corroía a fé na democracia. 

    Trabalhistas querem poder, conservadores aumentar maioria

    Para ele, as eleições serão uma oportunidade de conquistar uma maioria mais folgada e, desta forma, impor sua agenda em relação ao Brexit. Para os trabalhistas, por sua vez, as eleições podem significar a chance de reconquistar o poder. 

    "A escolha nestas eleições não poderia ser mais clara", afirmou o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, em um comunicado. "Um governo trabalhista estará ao seu lado, enquanto os conservadores de Boris Johnson, que pensa ter nascido para mandar, vão apenas cuidar da minoria privilegiada", acrescentou. 

    O pleito acontecerá dois anos e meio antes do previsto. A última eleições realizadas em dezembro aconteceu no distante ano de 1923.

    Mais:

    Brexit faz empresários britânicos reduzirem seus investimentos, revela pesquisa
    Brexit à moda brasileira? Especialistas analisam possível saída do Brasil do Mercosul
    Câmara dos Comuns decide adiar votação sobre acordo do Brexit de Boris Johnson
    Tags:
    Westminster, parlamento, trabalhistas, conservadores, Jeremy Corbyn, UE, Boris Johnson, Reino Unido, Brexit
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar