17:28 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Blindado norte-americano desembarca para operação da OTAN em Riga, na Lituânia, em 16 de outubro de 2019.

    OTAN 'ficou refém' do seu próprio processo de expansão, afirma historiador

    © REUTERS / Ints Kalnins
    Europa
    URL curta
    7243
    Nos siga no

    Em seu livro recém-publicado na Rússia, o ex-líder da URSS, Mikhail Gorbachev, classificou a expansão da OTAN como o "maior erro estratégico do Ocidente". Segundo declarou o historiador Mikhail Smolin ao serviço russo da Rádio Sputnik, esse erro era inevitável.

    O ex-Líder soviético é alvo de críticas por não ter obtido uma garantia por escrito da OTAN de que a aliança não se expandiria para o Leste da Europa após o fim da Guerra Fria. Na ausência de tais garantias, a OTAN teria ignorado suas promessas verbais a Gorbachev e se expandido rumo ao leste.

    O historiador Mikhail Smolin concorda com Gorbachev em que a expansão da OTAN foi um erro estratégico, uma vez que deixou a aliança "refém" do interesse de alguns Estados do Leste da Europa:

    "[...] A inclusão de Estados do leste europeu criou um certo descontrole dentro da OTAN, uma fonte de tensão dentro da aliança, uma vez que os Estados do leste estão orientados para a lógica de que a OTAN deve protegê-los da imaginária 'ameaça' russa", disse Smolin.

    De acordo com ele, um confronto com a Rússia não deve ser uma tarefa prioritária da aliança.

    "A OTAN ficou refém da lógica de confrontação com a Rússia, a qual, acredito, só é útil para a aliança no plano da informação, para aumentar seus armamentos, manter sua estrutura. Não acredito que a OTAN vislumbre um confronto militar real com a Rússia, até porque neste confronto não haveria vencedores."

    Apesar disso, o historiador considera que dificilmente a OTAN poderia ter evitado a armadilha na qual se encontra atualmente:

    "Este erro estava programado na própria construção desse bloco, uma vez que ele foi criado para uma confrontação com a União Soviética, e agora com a Federação da Rússia", concluiu Smolin.

    Expansão da OTAN

    Desde o fim da Guerra Fria, a OTAN já executou quatro rodadas de expansão para o Leste europeu. Na primeira, em 1999, integrou a República Tcheca, Polônia e Hungria. Na segunda, em 2004, integrou sete países da região, inclusive os três países bálticos – Lituânia, Letônia e Estônia.

    As mais recentes rodadas de expansão ocorreram em 2004, quando a Croácia e Albânia tornaram-se membros da Aliança, e em 2017, ano da integração de Montenegro.

    Secretário de Defesa dos EUA, Mark Spencer, chega em reunião da OTAN, em 24 de outubro de 2019. A OTAN tem 29 membros, 13 dos quais aderiram à organização após a reunificação alemã
    © REUTERS / Virginia Mayo
    Secretário de Defesa dos EUA, Mark Spencer, chega em reunião da OTAN, em 24 de outubro de 2019. A OTAN tem 29 membros, 13 dos quais aderiram à organização após a reunificação alemã

    O ex-líder soviético, Mikhail Gorbachev, publicou em setembro em Moscou um livro intitulado "Shto postavleno na kartu: buduschee globalnovo mira" (O que está em jogo? O futuro do mundo global, em tradução livre), ainda sem previsão para publicação em português.

    Mais:

    Alemanha participa de manobras da OTAN para treinar defesa com armas nucleares
    Não se esqueçam de Stalingrado: Rússia manda recado após compra pela OTAN de camuflagens para a neve
    Como seria conflito militar Rússia versus OTAN na região do Báltico? Especialista responde
    Tags:
    Leste Europeu, estratégia, Mikhail Gorbachev, expansão, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar