22:39 28 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    120
    Nos siga no

    O prefeito do departamento Sena Marítimo na Normandia, Pierre-André Durant, não excluiu que o incêndio na fábrica de produtos químicos da Lubrizol na cidade francesa de Rouen, pudesse colocar o rio Sena em risco de contaminação.

    "Se houver um risco de poluição do Sena, que não pode ser descartado, tomaremos as medidas necessárias", disse Durand à BFMTV.

    O incêndio na fábrica de produtos químicos da Lubrizol na cidade de Rouen, no norte da França, foi declarado por volta de 2h30 da madrugada desta quinta-feira (21h30 em Brasília, do dia 25 de setembro).

    Cerca de 200 bombeiros foram chamados ao local após a instalação ter se incendiado. Os bombeiros conseguiram conter as chamas, mas o fogo ainda não foi completamente extinto.

    O incêndio maciço levou as autoridades locais a fecharem as escolas e a aconselharem os habitantes de 11 municípios vizinhos a ficarem dentro de suas casas como medida de precaução.

    Impacto ao meio ambiente

    Segundos relatos, o incêndio poderia ter um impacto perigoso no meio ambiente, entre eles a contaminação do rio local.

    A fábrica, que produz aditivos de óleo, é formalmente classificada como área de alto risco pela União Europeia, devido à natureza perigosa dos produtos químicos que produz e armazena.

    Embora não tenha havido vítimas, o incêndio causou pânico entre os moradores locais quando enormes nuvens de fumaça negra se deslocaram para áreas residenciais.

    As imagens do incêndio ilustram o alcance do incêndio, que pode ser visto de toda a cidade.

    Grande incêndio deflagra na fábrica francesa de Rouen

    Mais:

    Avião que apagava incêndio cai na França (VÍDEO)
    'Símbolo da França e de nossa cultura europeia', diz Alemanha sobre incêndio em Catedral
    Igrejas de toda a França tocam sinos em solidariedade ao incêndio de Notre-Dame
    Tags:
    contaminação, Rouen, França, incêndio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar