19:23 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Logotipo da Huawei com bandeira chinesa em segundo plano

    EUA e Polônia assinam acordo de cooperação em redes 5G

    © REUTERS / Dado Ruvic
    Europa
    URL curta
    111022
    Nos siga no

    Os Estados Unidos e a Polônia assinaram um acordo de cooperação em redes 5G nesta segunda-feira (2) em meio a crescente preocupação com a gigante chinesa de telecomunicações Huawei.

    O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, e o primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, assinaram o acordo em Varsóvia, onde Pence está substituindo o presidente Donald Trump, que cancelou sua viagem no último minuto por causa do furacão Dorian.

    A cooperação ocorre durante uma batalha global entre os EUA e a Huawei, a maior fabricante mundial de equipamentos de infraestrutura de rede, por conta de supostas falhas na segurança da empresa e sua ligação com o governo chinês.

    O acordo EUA-Polônia afirma: "Proteger essas redes de comunicação da próxima geração contra interrupções ou manipulações e garantir a privacidade e as liberdades individuais dos cidadãos dos Estados Unidos, Polônia e outros países é de vital importância".

    Ambos os países prometeram endossar os princípios que serão desenvolvidos por autoridades de segurança cibernética de dezenas de países em uma cúpula que será realizada em Praga este ano para combater ameaças e garantir a segurança da próxima geração de redes móveis.

    Pence, falando em uma entrevista coletiva com o presidente da Polônia, Andrzej Duda, disse esperar que a declaração dê "um exemplo vital para o resto da Europa na questão mais ampla do 5G".

    Os EUA têm pressionado os aliados a proibir a Huawei de participar de redes 5G devido a preocupações de que o governo chinês possa forçar a empresa a dar acesso a dados para espionagem cibernética. A Huawei nega a alegação e os Estados da Europa — onde os países estão se preparando para implantar as novas redes, começando com o leilão de frequências de rádio este ano — vetaram os pedidos dos EUA de uma proibição total da fabricante chinesa.

    Mais:

    Analista explica porque sanções contra Huawei falham em 'afundar' empresa
    Canadá quer que Huawei construa rede 5G, mesmo após prender diretora da empresa
    Huawei revela sistema operacional para celulares que pode substituir Android
    Huawei considera investir em fábrica no Brasil
    Huawei lança processador de inteligência artificial mais potente do mundo
    Tags:
    Huawei, Polônia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar