20:17 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Emmanuel Macron e Donald Trump durante cúpula do G7 na França.

    Uma cadeira vazia no evento sobre clima do G7: Trump

    © REUTERS / Carlos Barria
    Europa
    URL curta
    4157
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump, faltou em uma discussão sobre o clima com outros líderes mundiais na cúpula do G7 — e depois afirmou "saber mais sobre o meio ambiente do que qualquer um".

    Trump deixou uma cadeira vazia enquanto os líderes globais debatiam nesta segunda-feira (26) como ajudar a combater os incêndios na Amazônia e reduzir as emissões de carbono.

    "Sou ecologista", disse Trump à imprensa, ao mesmo tempo em que celebrava a riqueza de petróleo e gás dos Estados Unidos.

    Ativistas ambientais consideraram a cúpula do G7 um fracasso e pedem regras mais rígidas para a diminuição da emissão de gases estufa e ajuda para a Amazônia.

    Trump estava programado para participar da sessão desta segunda-feira sobre clima, biodiversidade e oceanos, mas não compareceu. O presidente francês Emmanuel Macron, o anfitrião da cúpula, ignorou a ausência, observando que os auxiliares de Trump estavam lá.

    Trump é um céptico da mudança climática que já alegou que o aquecimento global é uma farsa inventada pelos chineses. Sua decisão de retirar os Estados Unidos do acordo climático de Paris de Paris prejudicou severamente os esforços globais para reduzir as emissões de gases do efeito estufa.

    Mas Macron disse que ele e Trump tiveram uma discussão "longa, rica e totalmente positiva" sobre os incêndios na Amazônia e um esforço internacional para investir no "reflorestamento" da área.

    Mais:

    Após Trump, UE também oferece ajuda no combate contra incêndios no Brasil
    Trump diz concordar com volta da Rússia ao G7
    Trump se arrepende de taxas sobre a China? Sim, elas deveriam ser maiores
    Trump afirma que 'certamente' convidará Putin para G7 ano que vem
    Tags:
    G7, França, Estados Unidos, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar