20:53 08 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Steffen Seibert, porta-voz do governo de Angela Merkel (Arquivo)

    Governo Merkel também defende debate sobre incêndios na Amazônia pelo G7

    © AP Photo / Michael Sohn
    Europa
    URL curta
    8116
    Nos siga no

    O porta-voz do governo de Angela Merkel, Steffen Seibert, disse que a Alemanha defende que os incêndios da Amazônia são uma situação urgente e que o assunto deve ser debatido durante a cúpula do G7 este final de semana.

    "A chanceler está convencida que a questão deve constar na agenda dos países do G7 quando se reunirem este final de semana" em Biarritz, na França, disse o porta-voz.

    O governo de Merkel diz que os incêndios preocupam o mundo inteiro.

    “A magnitude dos incêndios é preocupante e ameaça não só o Brasil e os outros países afetados, mas também o mundo inteiro”, disse Steffen Seibert.

    Merkel é a terceira líder do G7 que defende que o grupo discuta o fogo na floresta amazônica: Emmanuel Macron, da França, e Justin Trudeau, do Canadá, já se pronunciaram favorável a discussão.

    Macron usou o Twitter na quinta-feira (22) e chamou os incêndios da Amazônia de "crise internacional".

    "Nossa casa queima. Literalmente. A Amazônia, o pulmão de nosso planeta, que produz 20% de nosso oxigênio, arde em chamas. É uma crise internacional. Membros do G7, vamos nos encontrar daqui a dois dias para falar dessa urgência!", escreveu o francês.

    ​Trudeau também usou o Twitter para responder ao presidente francês.

    "Eu não poderia concordar mais, Emmanuel Macron. Nós trabalhamos muito para proteger o ambiente no G7 no ano passado em Charlevoix, e precisamos que isso continue nesse fim de semana. Precisamos agir pela Amazônia e agir pelo nosso planeta –nossos filhos e netos contam conosco."

    ​O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) registrou quase 2.500 novos focos de incêndio em 48 horas em todo o Brasil. Segundo o INPE, 75.336 incêndios florestais foram registrados no país de janeiro a 21 de agosto – 84% a mais que no mesmo período do ano passado – e mais de 52% são relacionados diretamente com a Amazônia.

    Mais:

    'Temos cidades em Rondônia cobertas pela fumaça das queimadas'
    Macron classifica incêndios na Amazônia de 'crise internacional' para discutir durante G7
    Bolsonaro chama alerta sobre Amazônia de Macron de 'mentalidade colonialista'
    Desmatamento é principal causador de incêndios na Amazônia, diz especialista
    Tags:
    incêndios florestais, Amazônia, Alemanha, Steffen Seibert, G7
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar