05:04 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Chanceler alemã Angela Merkel participa de reunião na Chancelaria em Berlim, Alemanha, em 10 de julho de 2019

    Saúde de Merkel é um assunto privado da chanceler, acreditam 59,2% dos alemães

    © REUTERS / Hannibal Hanschke
    Europa
    URL curta
    1 0 0

    Quase 60% dos alemães acham que a chanceler Angela Merkel, que recentemente foi filmada tremendo em eventos públicos, não é obrigada a informar a sociedade sobre sua condição de saúde, mostrou uma pesquisa divulgada neste sábado (13).

    De acordo com o levantamento realizado pelo instituto de pesquisas Civey e publicado pelo jornal alemão Augsburger Allgemeine, 59,2% dos entrevistados acham que a saúde de Merkel é assunto privado dela. Enquanto isso, 33,8% acreditam que o estado da chanceler deve se tornar público.

    A pesquisa também mostrou que a maioria dos apoiadores do partido Alternativa Para a Alemanha acredita que Merkel deve fornecer informações ao público sobre sua condição, já  a maioria dos apoiadores de outros partidos são da opinião que a saúde é um assunto privado da chanceler. 

    A pesquisa foi conduzida de 11 a 12 de julho e entrevistou 4.495 pessoas. A margem de erro é de 2,7%.

    Na quarta-feira, Merkel, 64, foi vista tremendo durante seu encontro com o primeiro-ministro finlandês Antti Rinne em Berlim. Esta foi a terceira vez que ela foi gravada tremendo durante um evento oficial em menos de um mês. 

    Um representante do serviço de imprensa do governo alemão disse à Sputnik na quarta-feira que Merkel estava se sentindo bem. As mesmas observações foram feitas pela própria chanceler.

    Mais:

    Merkel é filmada agindo estranho na reunião com Putin (Vídeo)
    Chanceler alemã Angela Merkel tem 3º ataque de tremores em público – Vídeo
    Doente? Merkel minimiza episódios de tremores: 'eu cuido da minha saúde'
    Merkel quer 'conversa direta' com Bolsonaro sobre o desmatamento na Amazônia
    Tags:
    Alemanha, Angela Merkel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar