10:01 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Caça F-16 da Força Aérea dos EUA (foto de arquivo)

    'Mais alguns bilhões aos EUA'? Partido búlgaro critica compra de caças F-16

    © AP Photo / Go Bum-jun/Newsis
    Europa
    URL curta
    330
    Nos siga no

    O partido Volya, que é liderado pelo atual vice-presidente da Assembleia Nacional da Bulgária Veselin Mareshki, teceu duros comentários às declarações do vice-ministro da Defesa.

    Atanas Zapryanov tinha dito que a Bulgária nos próximos anos iria adquirir mais alguns aviões F-16 para desta maneira ter uma esquadrilha completa.

    O partido Volya afirmou que com esta aquisição a Bulgária vai ter de "oferecer mais alguns bilhões aos EUA".

    "A verdade vem à tona: nós vamos ter de oferecer mais alguns bilhões aos EUA. Pobre povo búlgaro, se prepare para manter novos postos de trabalho nos EUA ainda por muitos anos", lê-se na página do partido no Facebook.

    O líder do mesmo partido, Veselin Mareshki, disse que o governo, com suas ações, "roubou o povo búlgaro em dois bilhões".

    Anteriormente ele tinha apelado para que a Bulgária desistisse da compra dos caças F-16 porque, de acordo com ele, a Bulgária ainda não alcançou um nível de vida suficientemente alto para "promover a melhoria [do nível de vida] em outros países".

    Segundo o presidente búlgaro Rumen Radev, apesar de a Bulgária, passados 15 anos, estar finalmente adquirindo novas aeronaves, "não há motivos para entusiasmo" devido ao "domínio total" dos motivos políticos sobre "as capacidades operativas do avião".

    Anteriormente foi divulgado que os EUA pediram cerca de US$ 1,3 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões) por oito caças F-16. Contudo, a Bulgária insistia em US$ 1,1 bilhão (cerca de R$ 4,2 bilhões) e no seu pagamento em prestações para não ameaçar a realização de outros projetos de modernização.

    Mais:

    Caça norte-americano F-16 é 'o mais caro aspirador de pó', diz político europeu
    Tags:
    caças, EUA, F-16, Bulgária
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar