10:53 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Porto da cidade de Câmara de Lobos, na ilha da Madeira, Portugal

    Rochas costeiras de Portugal estão sendo cobertas por crosta plástica nunca antes vista (Foto)

    © Sputnik / Aleksandr Kovalev
    Europa
    URL curta
    271
    Nos siga no

    Um novo tipo de poluição foi identificado em Portugal e recebeu o nome de plasticrust - uma camada fina de plástico incrustada diretamente nas rochas costeiras.

    De acordo com pesquisadores portugueses, o estranho fenômeno pode colocar inúmeras espécies marinhas em perigo devido à ingestão de partículas plásticas. O fenômeno foi identificado na ilha da Madeira, localizada a sudoeste de Portugal, comunica o site Gizmodo.

    A descoberta destas estranhas estruturas nas rochas costeiras foi feita em 2016 pelo especialista do Centro de Pesquisa Marinha e Ambiental (MARE), Ignacio Gestoso.

    Após analisar e coletar amostras das substâncias da área durante aproximadamente três anos, os cientistas perceberam que estas crostas deixaram de ser esporádicas para cobrir quase 10% da superfície das rochas.

    ​Temos uma nova forma de poluição plástica para lidar: o plasticrust

    A análise química do material revelou que se tratava de polietileno, um plástico extremamente comum que é frequentemente utilizado em recipientes descartáveis e recipientes para alimentos.

    Em seu estudo, publicado na revista Science of The Total Environment, Gestoso e sua equipe alertam que o fenômeno é uma forma de poluição plástica nunca antes vista.

    Como isso afeta a fauna marinha?

    "[Estas crostas] provavelmente se formaram em resultado da colisão de grandes pedaços de plástico contra a costa rochosa, resultando em uma crosta de plástico na rocha, de forma semelhante às algas ou líquens", explica o cientista.

    Segundo os pesquisadores, o "plasticrust" está gradualmente substituindo as películas biológicas naturais das rochas, que são as superfícies onde os animais intertidais, como caramujos e caracóis, vivem e se alimentam.

    A equipe científica também alerta para a abundância de uma espécie de caracol marinho que se alimentava de algas na superfície da crosta - o que levanta a possibilidade de que os moluscos estejam ingerindo algum do plástico.

    Apesar de ainda não estar claro o efeito que a ingestão de partículas plásticas pode ter sobre esses animais e outras espécies que vivem perto da costa, o consumo pode causar bloqueios do trato digestivo ou introduzir contaminantes ao organismo desses seres.

    Mais:

    Governo britânico lança plano milionário para reduzir poluição causada pela agricultura
    OMS: poluição acima do recomendável afeta 93% das crianças
    Bactéria 'consumidora' de poluição e geradora de energia é capturada em Yellowstone
    Tags:
    poluição, plástico, rocha, Portugal, Ilha da Madeira
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar