09:02 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Kosovo

    Funcionário russo da missão da ONU foi agredido e detido pelas forças especiais do Kosovo

    © Sputnik / Ruslan Krivibok
    Europa
    URL curta
    406

    Um funcionário russo da missão da ONU foi atacado e detido pelas forças especiais de Pristina em meio a uma operação no norte do Kosovo, informou o presidente sérvio, Aleksandar Vucic.

    Segundo o presidente, o funcionário da Missão de Administração Interina das Nações Unidas no Kosovo (UNMIK), Mikhail Krasnoschekov, foi detido e agredido pelas Forças Especiais do Kosovo (ROSU) no âmbito de uma operação efetuada na terça-feira (28).

    Posteriormente o homem foi levado com ferimentos ao hospital da cidade de Kosovska Mitrovica, no norte do Kosovo. Seus colegas da UNMIK já o visitaram no hospital, revelou a mídia

    Seu médico revelou à Sputnik que Krasnoschekov recebeu sérios ferimentos na cabeça.

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia condenou a detenção de Krasnoschekov no Kosovo, classificando-a de ato ultrajante. Além disso, Moscou exige que missão da ONU no Kosovo apresente informações completas sobre a detenção do cidadão russo e empreenda esforços para sua libertação.

    Posteriormente, a UNMIK informou que Krasnoschekov foi libertado.

    Hoje de manhã (28), as ROSU iniciaram uma operação especial nas regiões do norte do Kosovo que são predominantemente habitadas por sérvios. Segundo os dados preliminares, cerca de 30 pessoas foram detidas pelas ROSU.

    A chancelaria russa qualificou de "provocação" a entrada das forças especiais kosovares albanesas nos municípios sérvios e a realização de detenções.

    A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, declarou que se trata de "mais uma provocação de Pristina, que busca intimidar e afugentar a população não albanesa e estabelecer o controle sobre essas zonas pelo uso da força".

    As forças internacionais no Kosovo, controladas pela OTAN, declararam por sua vez que estão monitorando a situação, mas decidiram não interferir porque não se trata de uma operação contra os sérvios, mas contra a criminalidade organizada e a corrupção não apenas no norte, mas em todo o território do Kosovo.

    Anteriormente, o presidente sérvio, Aleksandar Vucic, avisou que Pristina poderia vir a realizar detenções de policiais sérvios no Kosovo sob pretexto da luta contra a corrupção.

    O Kosovo proclamou unilateralmente a independência da Sérvia em 2008 e é reconhecido por mais de 100 Estados membros da ONU. A Sérvia, bem como a Rússia, China, Israel, Irã, Espanha, Grécia e alguns outros países ainda não reconheceram a independência do Kosovo.

    Mais:

    'Sou soldado da América': premiê do Kosovo diz que segue os EUA contra Sérvia e Rússia
    Pressionados por Merkel e Macron, Sérvia e Kosovo retomam as negociações
    Tags:
    detenção, violência, Aleksandar Vucic, Kosovo, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar