02:54 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Sebastian Kurz

    Parlamento da Áustria aprova voto de desconfiança contra chanceler Sebastian Kurz

    © Sputnik / Evegeni Bijatow
    Europa
    URL curta
    0 0 0
    Nos siga no

    O Conselho Nacional da Áustria (câmara baixa do Parlamento) aprovou um voto de desconfiança contra o governo e seu chefe, o chanceler Sebastian Kurz.

    Os legisladores do Partido Social-Democrata da Áustria e do Partido da Liberdade, de direita, aprovaram um voto de desconfiança contra o governo do chanceler Sebastian Kurz. O Partido da Liberdade esteve em coalizão com Kurz até a semana passada, quando o partido se ficou envolvido em um escândalo político com o agora ex-vice-chanceler da Áustria, Heinz-Christian Strache.

    O presidente da Áustria, Alexander Van der Bellen, deve agora afastar Kurz do cargo e anunciar o novo chanceler.

    Na semana passada, na Áustria rebentou um escândalo após a divulgação de notícias envolvendo um vídeo de 2017 com Strache tendo encontro com uma mulher russa que a mídia diz ser Alyona Makarova. Nesse encontro teria sido discutida a possibilidade de compra do jornal austríaco Kronen Zeitung por Makarova, suposta sobrinha de um influente empresário russo, para obter ajuda para o político nas eleições gerais.

    Enquanto a mídia declarou que a mulher era russa, o próprio Strache disse que ela era da Letônia e descreveu o vídeo como uma tentativa de "assassinato político".

    Em meio ao escândalo, o próprio Strache e todos os seus ministros do Partido da Liberdade, exceto do Ministro das Relações Exteriores Karin Kneissl, se demitiram. Poucos dias depois, Kurz aprovou uma lista de novos ministros que vão substituir os demitidos.

    Mais:

    Itália vai tentar convencer Europa sobre erro de isolar a Rússia, afirma ministro italiano
    EUA se preparam para usar armas nucleares na Europa, adverte chancelaria russa
    Tags:
    Heinz-Christian Strache, Sebastian Kurz, Austrália, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar