04:34 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente do Escritório Federal de Proteção da Constituição (BfV), Thomas Haldenwang

    'Ameaça russa': chefe da inteligência alemã pede para não compartilhar dados com a Áustria

    © AP Photo / Markus Schreiber
    Europa
    URL curta
    817
    Nos siga no

    O chefe da agência de segurança interna alemã, o BfV, disse ao Parlamento que vê "riscos consideráveis" na cooperação de inteligência com a vizinha Áustria, de acordo com o jornal Die Welt. E é tudo "culpa" da Rússia novamente.

    No alvorecer de um escândalo envolvendo o agora ex-vice-chanceler da Áustria, Heinz-Christian Strache, e uma suposta "sobrinha de um oligarca russo", o semanário alemão Welt am Sonntag publicou outra história, também escavando a narrativa sobre uma "Rússia má".

    De acordo com o jornal, o presidente do Escritório Federal de Proteção da Constituição (BfV) — Thomas Haldenwang, afirmou à comissão de supervisão de inteligência do Parlamento nesta semana sobre sua desconfiança em relação aos serviços de segurança austríacos.

    Haldenwang disse que vê "riscos consideráveis" na cooperação com a Áustria no campo da segurança, particularmente no compartilhamento de dados confidenciais, pois pode ser "mal utilizado" ou pior — acabar nas mãos dos russos. Ele não elaborou sobre o que o levou a ter essa visão.

    O problema parece estar particularmente ligado ao fato de que a agência de segurança doméstica da Áustria, o Escritório para a Proteção da Constituição e Contra-Terrorismo (BVT), ser supervisionada por políticos do Partido da Liberdade (FPO), o parceiro menor na aliança de governo do chanceler Sebastian Kurz.

    O ministro do Interior austríaco, Herbert Kickl, que, de acordo com o Die Welt, iniciou uma invasão policial em fevereiro de 2018 nos escritórios da BVT, durante a qual foram confiscados documentos secretos compartilhados por outros serviços de segurança europeus, é membro do FPO.

    Em 2016, o FPO também cometeu um "pecado" assinando um "tratado de amizade" com o partido governista russo, o Rússia Unida. Agora, o Die Welt diz que os serviços de segurança europeus temem que seus segredos já tenham terminado com os russos, independentemente de haver ou não alguma prova.

    As agências de inteligência europeias têm dado aos serviços de segurança austríacos o ombro frio há algum tempo agora. Isso já levou a consequências negativas reais, além da percepção da "ameaça russa".

    O BVT retirou-se do fórum informal de compartilhamento de informações da Europa, o Clube de Berna, após a invasão da polícia de 2018. E os outros membros do grupo têm retido informações de Viena desde então, embora as relações tenham sido formalmente restabelecidas.

    Em abril, Viena disse que a situação levou os serviços de segurança a perderem de vista o terrorista Brenton Tarrant em 2018. Tarrant, um cidadão australiano, é acusado de matar 50 pessoas e ferir 49 em um ataque a duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia, em março de 2019.

    Mais:

    Chefe alemão critica sanções contra Rússia: 'EUA agem como se Alemanha fosse sua colônia'
    Alemanha defende permanência da Rússia no Conselho Europeu
    Washington exige que Alemanha aumente gastos militares porque 'Rússia está à porta'
    Tags:
    segurança, russofobia, ameaça russa, diplomacia, inteligência, relações bilaterais, Partido da Liberdade (FPO), BVT, Bundestag, BfV, Herbert Kickl, Thomas Haldenwang, Sebastian Kurz, Heinz-Christian Strache, Áustria, Alemanha, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar