01:23 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Construção do Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2) na Finlândia (foto de arquivo)

    Chefe alemão critica sanções contra Rússia: 'EUA agem como se Alemanha fosse sua colônia'

    © Foto/ Nord Stream 2
    Europa
    URL curta
    12260
    Nos siga no

    Apenas os EUA - não a Alemanha ou a União Europeia (UE) - estão interessados ​​em sanções econômicas contra a Rússia, disse o chefe do comitê de economia e energia do Parlamento alemão (Bundestag). Os deputados alemães estão procurando maneiras de levantar as restrições, acrescentou.

    O chefe de economia e energia do Bundestag, Klaus Ernst, do partido esquerdista Die Linke, acusou os Estados Unidos de se comportarem como se a Alemanha fosse sua colônia, enquanto Washington tenta impedir os europeus de comprar gás russo.

    "Essas medidas não visam apenas os russos, eles visam deliberadamente os europeus, por exemplo, empresas alemãs de energia envolvidas na Nord Stream 2", declarou em uma conferência sobre as perspectivas de cooperação energética entre a Rússia e a UE, organizada pela Russian Gas Society — uma associação de empresas russas de energia, instituições de pesquisa relevantes e administrações locais.

    Autoridades dos EUA, incluindo o presidente Donald Trump, o secretário de Estado Mike Pompeo e o embaixador de Berlim Richard Grenell, montaram uma ofensiva contra o gasoduto Nord Stream 2, liderado pela Rússia, que deve ser concluído em 2019. Com o objetivo declarado de combater o "avanço russo", eles estão ameaçando as empresas europeias com sanções se continuarem investindo no projeto.

    "As ações do embaixador dos EUA na Alemanha são simplesmente inaceitáveis", afirou Ernst, citado pela mídia russa. "É como se a Alemanha fosse uma colônia dos EUA".

    O objetivo real, segundo Ernst, é fazer a UE comprar gás americano: "Os americanos estão usando a política para realizar seus próprios interesses nesse campo".

    As ameaças não tiveram efeito até agora, com a construção do Nord Stream 2 continuando a crescer. O operador do oleoduto detido pela Gazprom afirmou que cada um dos seus parceiros europeus, que inclui empresas alemãs, francesas, britânicas, holandesas e austríacas, investiu cerca de 1 bilhão de euros.

    Falando de outras medidas econômicas em vigor contra a Rússia, Ernst observou que os EUA são a única parte que leva vantagem econômica.

    "Atualmente há discussões sobre isso no comitê da economia do Bundestag, e está se fortalecendo — como as sanções contra a Rússia podem ser levantadas. Nem a Alemanha nem a Europa estão interessadas nessas sanções. Os únicos vencedores dessas sanções são os americanos", completou.

    Mais:

    Senadores dos EUA defendem sanções para empresas envolvidas no Nord Stream 2
    Parlamento Europeu aprova resolução para interromper Nord Stream 2 e sancionar Rússia
    CEO de estatal austríaca de energia: Nord Stream 2 não dividirá a Europa
    Tags:
    energia, russofobia, gás, sanções, União Europeia, Gazprom, Die Linke, Bundestag, Richard Grenell, Mike Pompeo, Donald Trump, Klaus Ernst, Estados Unidos, Europa, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar