19:49 21 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Germany's far-right Alternative for Germany AfD party burn a private fireworks during an election campaign tour by ship on the river Rhine near Krefeld, western Germany, September 4, 2017.

    Partidários da AfD denunciam ataques na Alemanha, a poucas semanas das eleições da UE

    © REUTERS / Wolfgang Rattay
    Europa
    URL curta
    0 20

    Membros do partido Alternativa para a Alemanha (AfD) têm denunciado o crescente número de ataques contra a sigla na grande mídia, no campo político e até nas ruas.

    O ano de 2019 tem sido movimentado para os políticos alemães. Além da votação para o Parlamento da UE — marcada para 26 de maio —, o país escolhe representantes no mesmo dia em várias eleições estaduais e municipais. Em setembro, os eleitores alemães voltarão às zonas de votação para escolher candidatos nas eleições estaduais de Brandemburgo e Saxônia.

    Dois membros do partido Alternativa para a Alemanha (AfD) disseram à Sputnik que adversários de esquerda têm estimulado atos violentos contra o partido. O partido é conhecido por uma dura retórica anti-imigração, discursos que pregam uma "Alemanha para os alemães" e posições pró-Rússia.

    "Outros partidos temem que a AfD receba muitos votos", diz o deputado regional de Berlim e membro da AfD, Gunnar Lindemann. "Então, eles tentam lutar contra o nosso partido e nossas idéias — claro, não de um jeito bom".

    O "choque de ideias" na Alemanha parece ter ido além do debate político, artigos de jornais e telas de TV, já que os membros da AfD também estão denunciando ataques físicos.

    Na cidade de Essen, a situação esquentou quando três carros da campanha do partio AfD foram incendiados em campos de refugiados na quinta-feira. A legenda suspeita de envolvimento de radicais de esquerda e pediu proteção policial.

    Apesar dos ataques, o partido está otimista sobre o seu desempenho nas próximas eleições parlamentares e domésticas, já que em 2017, o partido se tornou a terceira maior força política do Bundestag (o Parlamento alemão).

    Movimentos de direita também estão ganhando força nos países vizinhos. Em março de 2019, o Fórum para a Democracia (FvD) na Holanda, com discurso semelhante ao defendido pela AfD (eurocético, anti-imigração, militarismo e corte de impostos), deu um grande salto nas eleições provinciais e se tornou a maior força no Senado.

     

    Tags:
    Fórum para a Democracia (FvD), Sputnik, Alternativa para a Alemanha (AfD), Gunnar Lindemann, Holanda, Essen, Alemanha, Berlim, Saxônia, Brandemburgo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar