04:43 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    French President Emmanuel Macron and Britain's Prime Minister Theresa May

    Ameaça velada? Macron faz alerta ao Reino Unido sobre prazos para o Brexit

    © REUTERS / Philippe Wojazer
    Europa
    URL curta
    631

    O Reino Unido terá que deixar a União Europeia (UE) com "nenhum acordo" se os parlamentares britânicos rejeitarem novamente o acordo apoiado pelo bloco europeu, alertou o presidente francês Emmanuel Macron.

    O rascunho existente, que tem sido consistentemente rejeitado pelos parlamentares britânicos, é o resultado de dois anos de negociações e a UE deve deixar claro que não pode ser simplesmente renegociado, afirmou Macron durante a cúpula do Brexit em Bruxelas.

    Se os deputados britânicos rejeitarem o acordo mais uma vez, não haverá acordo.

    O presidente francês também observou que a situação atual não pode ser prolongada "indefinidamente" e que a "escolha do povo britânico" deve ser respeitada.

    "Não podemos fingir depois de três anos que o povo britânico não votou para sair", declarou.

    A mensagem de Macron soou um pouco contraditória, no entanto, como ele também disse que ele está "aberto a uma extensão técnica" do prazo do Brexit, mas ele ressaltou que a bola está na quadra de Londres.

    Cabe ao Reino Unido dizer à UE qual seria sua nova política, comentou o líder francês, acrescentando que outra prorrogação do prazo exigiria um "plano claro" por parte do Reino Unido.

    "Devemos ser claros para nós mesmos, nossos amigos britânicos e nosso povo. Em primeiro lugar, estamos negociando o acordo de retirada por dois anos. Não pode ser renegociado. Em segundo lugar, no caso de outro voto 'Não' na Grã-Bretanha, estaremos caminhando para um acordo sem acordo. Todo mundo sabe disso", pontuou Macron ao chegar a um encontro de líderes europeus em Bruxelas.

    O Parlamento britânico deve votar a oferta apoiada pela UE pela terceira vez na próxima semana. Apesar de duas derrotas anteriores na legislatura, a primeira-ministra britânica Theresa May ainda está pedindo aos parlamentares que finalmente apoiem o acordo.

    Ela também disse que pediu ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que estendesse o artigo 50 até 30 de junho para dar aos parlamentares britânicos a oportunidade de fazer uma "escolha final". Ao mesmo tempo, ela chamou o fato de que o Reino Unido falhar em deixar a UE na data marcada de 29 de março uma "questão de grande pesar pessoal".

    Mais:

    Comissão Europeia lamenta os resultados da votação do acordo Brexit
    Parlamento Britânico rejeita novamente acordo para o Brexit
    Caso Skripal serviu para distrair opinião pública do Brexit, diz chancelaria russa
    Tags:
    relações bilaterais, rompimento, diplomacia, saída, Brexit, Parlamento britânico, União Europeia, Donald Tusk, Theresa May, Emmanuel Macron, Bruxelas, Reino Unido, França, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar