00:38 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, o presidente da Polônia, Andrzej Duda, eo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, são vistos durante os preparativos para uma foto a conferência sobre Paz e Segurança no Oriente Médio em Varsóvia.

    Premiê polonês cancela viagem a Israel após comentários de Netanyahu sobre o Holocausto

    © AFP 2019 / Janek SKARZYNSKI
    Europa
    URL curta
    3163
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores da Polônia deve comparecer a uma reunião de quatro Estados da Europa Central e Oriental em Visegrad, substituindo o chefe de Estado do país, após premiê Benjamin Netanyahu culpou a nação polonesa pelos nazistas no Holocausto.

    O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, disse ao homólogo israelense, Benjamin Netanyahu, que cancelou uma visita a Israel, onde a cúpula de Visegrad deve começar na segunda-feira.

    Os dois chefes de Estado falaram por telefone, disse a porta-voz do governo polonês Joanna Kopcinska a jornalistas. O ministro das Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz, participará da reunião de quatro nações da Europa Central e Oriental em Jerusalém.

    A notícia vem na sequência de relatos sobre comentários de Netanyahu sobre a cumplicidade polonesa com os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Comentando a reportagem, o gabinete do primeiro-ministro israelense divulgou uma declaração dizendo que o The Jerusalem Post havia reportado a fala do premiê erroneamente.

    Em outro comunicado, o primeiro-ministro israelense também esclareceu que suas observações sobre o assunto, que continua sendo uma questão delicada na Polônia, não continham nenhuma acusação. No entanto, a Polônia convocou a embaixadora israelense Anna Azari para explicar os comentários.

    Tags:
    Segunda Guerra Mundial, The Jerusalem Post, Ministério das Relações Exteriores da Polônia, Benjamin Netanyahu, Jacek Czaputowicz, Mateusz Morawiecki, Polônia, Israel, Europa, Visegrad
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar