01:00 25 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    421
    Nos siga no

    Milhares de espanhóis participaram de uma manifestação de direita na capital da Espanha, Madri, neste domingo (10) para exigir que o primeiro-ministro socialista Pedro Sánchez renuncie. O premiê ofereceu aos separatistas da Catalunha a chance de uma mesa redonda para negociações.

    A direita considera a oferta uma traição. Os separatistas rejeitaram a oferta de qualquer maneira. Os protestos foram convocados pelo Partido Popular (PP) e Ciudadanos (Cidadãos). Como a direita, os socialistas também se opõem à independência catalã.

    Grupos de direita nacionalista, incluindo o partido Vox, também participaram, realizado sob o slogan "Por uma Espanha unida. Eleições agora!". A maior parte dos manifestantes se reuniu na Plaza de Cólon, com cartazes a favor das forças de segurança do país e palavras de ordem pela renúncia de Sánchez.

    "O tempo do governo de Sánchez acabou", disse o presidente do Partido Popular Pablo Casado.

    As tensões políticas ocorrem antes de um julgamento altamente sensível no Supremo Tribunal da Espanha, que começa na terça-feira, contra 12 separatistas catalães que enfrentam acusações, incluindo de rebelião, após uma tentativa fracassada de secessão em 2017.

    Sánchez herdou a crise catalã do ex-primeiro-ministro Mariano Rajoy, o então líder do Partido Popular.

    Mais:

    Suprema Corte da Espanha recusa pedido para paralisar exumação de Franco
    Premiê espanhol apóia remoção da inviolabilidade constitucional do rei da Espanha
    Onda da direita chegou à Espanha: partido 'herdeiro de Franco' ganha espaço na Andaluzia
    Caças da Espanha escoltam avião do presidente chinês Xi Jinping (VÍDEO)
    Luz verde para o Brexit: Espanha e Reino Unido firmam acordo por Gibraltar
    Tags:
    Pedro Sánchez, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar