07:54 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Cédulas de euro, libra e dólar

    Bolha da União Europeia pode estourar em 2019 com 'nova Grécia', diz analista britânico

    CC0 / Pixabay
    Europa
    URL curta
    270
    Nos siga no

    A União Europeia (UE) está prestes a implodir este ano, previu o investidor Mitch Feierstein em um episódio de Ano Novo do Keiser Report. Ele também revela qual país será a próxima Grécia - e a resposta pode surpreendê-lo.

    Este ano será duro para a Europa, não só devido ao Brexit (saída do Reino Unido da UE), porque outros Estados membros também poderiam derrubar o bloco, de acordo com Feierstein. Os protestos na França são apenas o primeiro sinal de uma inquietação mais ampla, declarou o analista Max Keiser.

    "Você vai ver a agitação global. Eu acho que você é um recurso na Itália quando a UE tenta intimidá-los", observou o investidor britânico-americano, citando infecciosas "medidas de austeridade draconianas".

    No entanto, não apenas a Itália, mas também a França, poderiam seguir o destino da Grécia endividada, alertou Feierstein, observando o baixo índice de aprovação do presidente Emmanuel Macron, o aumento do desemprego e a enorme desigualdade de riqueza no país.

    "A Itália tem US$ 4 trilhões em empréstimos que eles disseram que não vão pagar… A França tem uma situação semelhante, mas eles têm agitação civil com a população incendiando Paris. Então um deles vai sair", previu.

    Ambos os países têm violado as regras do orçamento da UE. Depois de apenas um ano de cumprimento em 2018, Paris anunciou que seu déficit orçamentário para 2019 deve ser 0,2% maior do que o limite de 3% que as regras do bloco permitem. Bruxelas concordou em tolerar a violação, como vinha fazendo por quase uma década antes da presidência de Macron.

    A Itália também tem estado em desacordo com o bloco de 28 nações. No ano passado, a Comissão da UE queria colocar a Itália em um programa de disciplina econômica por causa de uma grave violação dos regulamentos da UE sobre dívidas. O impasse entre Roma e Bruxelas só foi resolvido em meados de dezembro, quando a Itália concordou com um acordo orçamentário, apesar das críticas domésticas da oposição.

    Mais:

    Pesquisa: Maioria dos Conservadores britânicos não está disposta a apoiar acordo do Brexit
    UE desenvolve medidas temporárias para caso de um Brexit sem acordo
    Chefe da Comissão Europeia critica a Romênia por ser incapaz de presidir a UE
    Tags:
    déficit, austeridade, bolha, euro, comércio, economia, União Europeia, Emmanuel Macron, Mitch Feierstein, Max Keiser, Reino Unido, Grécia, França, Itália, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar