02:40 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Preservativos (imagem de arquivo)

    Mãos livres? Polônia implementa 'método católico' de fazer espermograma

    © CC0
    Europa
    URL curta
    0 04
    Nos siga no

    Pelo fato de as clínicas frequentemente proporem a masturbação masculina como método de coleta de sêmen, isso faz com que os clientes e cônjuges se sintam-se moralmente desconfortáveis, segundo o especialista em bioética Blazej Kmieciak, da cidade polonesa de Lodz.

    A presidente do conselho do CMS Code (empresa prestadora desse tipo de serviço), Monika Markut, disse à Sputnik que esse método é recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

    Na Polônia é proposto agora o uso de um preservativo perfurado específico durante a relação sexual para a coleta do material e sua posterior entrega em laboratório para estudo. Dessa forma, as normas religiosas não serão desrespeitadas.

    O preço desta análise é de aproximadamente 14 euros (62 reais), e o valor da camisinha é de cerca de 5 euros (22 reais).

    "O sêmen pode ser obtido fora do laboratório durante a relação sexual com um preservativo especial, sem afetar os espermatozoides", relatou Markut.

    Após a ejaculação, o material recolhido deve ser mantido em uma temperatura de 20 a 37 °C e levado a um laboratório em um período máximo de uma hora.

    A coleta de sêmen com preservativo especial já foi rotulada por alguns estabelecimentos como um procedimento de "estilo católico".

    No entanto, o professor Tadeusz Pietrucha, co-fundador da empresa citada, é contra rotular o método de coleta.

    "Achamos que esta maneira de fazer o teste é confortável não apenas para os católicos, mas também para os representantes de outras religiões […] Existem apenas dois critérios: ser profissional ou não profissional. Valorizamos o profissionalismo, o que significa proporcionar condições decentes e privacidade durante o teste", disse o acadêmico.

    Como algumas pessoas profundamente religiosas não fazem sexo sem a intenção de concepção, foi proposta essa alternativa pelo portal católico chamado Adonai. O preservativo pode ser perfurado, garantindo a possibilidade de concepção e reservando um pouco de sêmen para enviar para análise.

    O padre Kirill da catedral católica romana de Moscou, comentando o tema à Sputnik, lembrou que a tecnologia de preservativos perfurados tem sido usada há muito tempo em todo o mundo.

    "É chamado de preservativo perfurado, quando o sêmen é suficiente para coletar e também fazer a concepção acontecer. A possibilidade desse ato de amor criar uma vida é uma condição necessária da relação entre homens e mulheres, como visto pela Igreja Católica. Eu não acho que esse debate tenha vindo do nada. As pessoas entendem que há um problema ético aqui, mas ele já foi abordado pelos cientistas", afirmou o patriarca.

    O "teste católico" tem gerado controvérsias entre os poloneses e provocado uma onda de comentários nas redes sociais sobre o assunto. 

    Mais:

    Reciclagem de camisinha? Preservativos usados são reembalados e vendidos na China
    Nova York registra primeiro caso de Zika transmitido sexualmente de mulher para homem
    Cientistas descobrem como eliminar reservatórios de HIV em pacientes usando células-tronco
    Brasil tem primeiro autoteste rápido de HIV
    Tags:
    sêmen, religiosos, católicos, preservativo, camisinha, Organização Mundial de Saúde, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar