21:50 20 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko

    EUA querem tribunal anticorrupção na Ucrânia

    © REUTERS / Valentyn Ogirenko
    Europa
    URL curta
    750

    Um comunicado divulgado pela embaixada dos Estados Unidos em Kiev neste domingo (9), enfatizou a necessidade de estabelecimento de um tribunal anticorrupção na Ucrânia.

    "No Dia Internacional de Combate à Corrupção, enfatizamos a necessidade de estabelecer um efetivo Alto Tribunal Anticorrupção e garantir que as instituições anti-corrupção trabalhem juntas para promover o Estado de Direito e um governo transparente e responsável", twittou a embaixada dos EUA.

    Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia
    © Foto : Presidência da Ucrânia / Mikhail Palinchak
    Em junho, o parlamento ucraniano aprovou um projeto de lei para criar o tribunal contra a corrupção como uma das principais condições para da assistência financeira à Ucrânia por parte do Fundo Monetário Internacional (FMI).

    Kiev tem recebido empréstimos que somam US$ 17,5 bilhões. Os empréstimos, parte de um programa de quatro anos destinado a reviver a economia ucraniana, foram aprovados pelo FMI em 2015. Até agora, Kiev recebeu quatro parcelas do acordo, acumulando um total de US$ 8,7 bilhões.

    O FMI congelou os pagamentos da ajuda em abril e o quinto pagamento nunca foi realizado porque a Ucrânia não cumpriu todos os requisitos do fundo. Além do tribunal anticorrupção também estão incluídas regulamentações sobre preços de gás e uma política tributária renovada.

    Mais:

    Ucrânia tem potencial para criar armas nucleares, diz general ucraniano
    EUA realizam voo imprevisto por cima da Ucrânia
    Ucrânia anuncia teste bem-sucedido de novos mísseis de cruzeiro
    MRE russo: lei marcial na Ucrânia ameaça com reinício de ações militares em Donbass
    EUA visam transformar Ucrânia em novo foco de tensão, diz deputado russo
    Tags:
    ajuda financeira, corrupção, FMI, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar