03:01 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Manifestantes construindo barreira durante um protesto de coletes amarelos contra aumento de preços de combustíveis, Paris, 1º de dezembro de 2018

    França poderá declarar moratória ao aumento de impostos sobre combustíveis após protestos

    © AFP 2018 / Abdulmonam Eassa
    Europa
    URL curta
    211

    O primeiro-ministro da França, Édouard Philippe, anunciou nesta terça-feira (4) que o governo suspenderá por seis meses aumento de impostos sobre combustíveis em meio a recentes protestos por todo o país, segundo a agência AFP.

    A partir de 1º de janeiro, o governo de Emmanuel Macron pretendia aumentar impostos sobre gasolina e diesel, mas acabou fazendo concessões perante onda de manifestações.

    Anteriormente, a agência relatou que o premiê francês intencionava declarar moratória sobre alta de impostos nesta terça-feira (4).

    Desde meados de novembro, a França vem sendo abalada por protestos em massa contra aumento dos preços de combustíveis. As demonstrações no centro de Paris resultaram na desordem e detenção de centenas de manifestantes.

    O governo francês cancelou oficialmente um encontro com o movimento "coletes amarelos" previsto para 4 de dezembro, relatou o canal France24.

    Os protestos do ultimo sábado (1) em Paris levaram a confrontos duros entre manifestantes e policiais. A desordem resultou na detenção de 412 pessoas e ferimento de 133, incluindo 23 oficiais de segurança.

    No final de 2017, o governo francês aprovou a decisão de aumentar os impostos diretos sobre a gasolina e o diesel. Os preços do diesel aumentaram cerca de 23% desde o começo deste ano. Já a gasolinateve sumentos de 15%. Os preços devem subir ainda mais em janeiro.

    Mais:

    Especialistas comentam o que está por trás de desentendimento entre Bolsonaro e Macron
    Desavença entre Trump e Macron pode estar por detrás dos protestos violentos na França?
    Protestos na França: polícia prende 130 pessoas em todo o país
    Tags:
    coletes amarelos, preços de combustíveis, gasolina, diesel, impostos, protestos, Edouard Philippe, Emmanuel Macron, França, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik