10:35 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Sistemas de mísseis S-400 Triumph do regimento de defesa antiaérea do Distrito Militar do Sul que foi colocado em serviço em Teodósia, na Crimeia

    Crimeia está protegida de ataques aéreos de todas as direções, diz general russo

    © Sputnik / Sergei Malgavko
    Europa
    URL curta
    4282

    A Crimeia está protegida de ataques aéreos de todas as direções, declarou, durante a recepção em serviço operacional na Crimeia do sistema de defesa antiaérea S-400, o comandante da defesa aérea do Distrito Militar do Sul, tenente-general Viktor Sevostyanov.

    Na quinta-feira, uma quarta divisão de sistemas S-400 entrou em serviço na fronteira entre a Rússia e a Ucrânia em Dzhankoi. As três divisões anteriores assumiram suas posições operacionais em Feodosiya, Sevastopol e Evpatoriya.

    "A Crimeia está totalmente protegida da atuação de meios aéreos do inimigo de todas as direções e com um alcance de até 400 quilômetros", disse o general Sevostyanov aos repórteres.

    O sistema S-400 Triumph é um sistema de defesa capaz de eliminar alvos aéreos furtivos, mísseis de cruzeiro, mísseis balísticos, inclusive de médio alcance, podendo também ser usado contra alvos terrestres.

    Além disso, o S-400 possui um alcance de até 400 km, sendo capaz de atingir alvos a altitudes de até 30 km. Um regimento de lançadores de mísseis S-400 é composto por 16 lançadores com quatro mísseis cada um.

    As características táticas e técnicas do sistema de mísseis antiaéreos são muito melhores do que as do seu famoso antecessor S-300PM. Mesmo assim, o S-300, de acordo com especialistas, é bastante superior em eficiência aos seus análogos estrangeiros.

    Mais:

    Almirante britânico propõe enviar destróier à Ucrânia para enfrentar a Rússia
    Marinha ucraniana explica para que enviou navios de guerra ao estreito de Kerch
    Kiev quer fechamento do estreito de Bósforo para navios russos após incidente no mar Negro
    Tags:
    divisão, sistema antiaéreo, S-400 Triumph, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik