18:16 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Vista da ponte da Crimeia atravessando estreito de Kerch

    França e Alemanha rejeitam sanções contra Rússia por incidente em Kerch, diz jornal

    © Foto: Roscosmos/Anton Shkaplerov
    Europa
    URL curta
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)
    11250

    Diplomatas alemães e franceses se opõem a impor à Rússia uma nova rodada de sanções após um confronto marítimo com a Ucrânia e, ao contrário, querem melhorar a confiança entre as nações, sugere uma reportagem da mídia da Alemanha.

    Diplomatas de alto escalão da França e da Alemanha preferem combater as renovadas tensões russo-ucranianas com mais "medidas de construção de confiança", informou o jornal alemão Die Welt nesta quarta-feira.

    O jornal, citando suas próprias fontes, escreveu que sanções adicionais não foram incluídas na proposta dos diplomatas. Em vez disso, eles se ofereceram para "continuar os esforços diplomáticos" para resolver a crise e considerar o papel da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) na resolução do conflito.

    De acordo com o Die Welt, esta abordagem foi manifestada por Berlim e Paris na terça-feira durante uma "reunião secreta" do Comité Político e de Segurança da União Europeia (UE) em Bruxelas.

    Mais cedo, o ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, pediu à Rússia e à Ucrânia que tentassem a retirada da escala e exibissem a "moderação máxima" para evitar uma crise maior.

    Falando ao jornal The Washington Post, o presidente estadunidense Donald Trump disse que, enquanto aguarda um "relatório completo" sobre o incidente, ele pode cancelar as conversas com o líder russo Vladimir Putin na reunião do G20, em Buenos Aires, na Argentina, na sexta-feira.

    Provocação da Marinha ucraniana

    Em 25 de novembro, 3 navios da Marinha ucraniana – Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu – atravessaram a fronteira da Rússia, violando os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre direito marítimo. Os navios entraram na zona aquática temporariamente encerrada e realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências das embarcações russas que acompanhavam os navios ucranianos.

    Foi tomada a decisão de usar armas. Todos os navios ucranianos foram detidos aproximadamente a 20 km da costa russa e a 50 km do local habitual de passagem dos navios no estreito de Kerch, abaixo da Ponte da Crimeia.

    Durante o incidente, 3 militares ucranianos ficaram levemente feridos. Eles receberam assistência médica e não correm risco de morrer. De sua parte, a Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

    Em 26 de novembro, o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko aprovou a proposta do Conselho de Segurança e Defesa Nacional para introdução da lei marcial no país depois do incidente no estreito de Kerch. A lei marcial entrou em vigor no território ucraniano a partir de 26 de novembro, terminando no dia 25 de janeiro de 2019, de acordo com o decreto.

    Ainda é necessária sua aprovação pela Suprema Rada (Parlamento ucraniano).

    Tema:
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)

    Mais:

    Que objetivo perseguia avião dos EUA sobrevoando estreito de Kerch?
    Após incidente no estreito de Kerch, Trump ameaça não ir à reunião com Putin no G20
    Provocação no estreito de Kerch é uma combinação multipasse de Kiev, diz político
    Tags:
    provocação, diplomacia, sanções, conflito, Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), ONU, Die Welt, Heiko Maas, Donald Trump, Vladimir Putin, Pyotr Poroshenko, Alemanha, França, Estreito de Kerch, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik