04:33 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin na coletiva de imprensa em Singapura

    Putin explica por que ainda há poucas chances de resolução pacífica em Donbass

    © Sputnik / Grigory Sysoev
    Europa
    URL curta
    3141

    A política da administração atual ucraniana não pretende resolução pacífica do conflito em Donbass, declarou o presidente russo, Vladimir Putin, durante cúpula da ASEAN, em Singapura.

    O presidente russo acredita que o atual governo ucraniano seja incapaz de fazer algo para regularizar a situação no Leste da Ucrânia.

    "Enquanto essas pessoas governarem Kiev, fica difícil contar com solução pacífica da questão nestes territórios. Mas nós consideramos que não há outro caminho, de qualquer modo, a não ser negociar", declarou o líder russo na coletiva de imprensa em Singapura.

    Líderes mundiais durante os eventos comemorativos dos 100 anos do armistício na Primeira Guerra Mundial, em Paris, 11 de novembro de 2018
    © Sputnik / Asessoria de imprensa do Kremlin
    "Não há outro caminho senão o pacífico. É necessário cumprir os Acordos de Minsk", sublinhou o presidente russo. De acordo com Putin, a administração atual da Ucrânia "até hoje não mostrou interesse" em cumprir os Acordos de Minsk.

    "Não está acontecendo nada. A própria lei sobre o estatuto especial de Donbass, adotada pelo parlamento da Ucrânia, ainda não entrou em vigor. É um elemento-chave para resolução", ressaltou Putin.

    Mesmo a Rússia cumprindo os acordos, de acordo com Putin, todos esperam que a Rússia cumpra os Acordos de Minsk, mas "ninguém repara que as autoridades ucranianas não estão cumprindo nada".

    Mais:

    Putin e Netanyahu se encontram pela primeira vez desde incidente militar na Síria
    EUA condenam eleições em Donbass e prometem sanções
    Putin chama desejo europeu de criar exército comum de 'compreensível'
    Enviado russo: Kiev concentra forças perto da linha de contato em Donbass
    Tags:
    chances, resolução pacífica, poder, Acordos de Minsk, Singapura, Donbass, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik