19:34 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    General aposentado da Infantaria da Marinha e Secretário de Defesa norte-americano, James Mattis

    Secretário de Trump agradece oferta da Polônia para receber base militar dos EUA

    © REUTERS / Mike Blake
    Europa
    URL curta
    4510

    O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, aproveitou uma reunião para agradecer o ministro da Defesa da Polônia, Marius Blaszczak, por oferecer o país para receber uma base militar dos EUA, disse o porta-voz do Pentágono, Dana White, em um comunicado.

    Na semana passada, Blaszczak disse em uma entrevista à Rádio Polonesa que ele iria discutir com Mattis e os legisladores dos EUA os benefícios de ter uma base militar permanente dos EUA na Polônia.

    "O secretário [Mattis] agradeceu ao ministro Blaszczak pela oferta de seu país de aumentar as opções de postura da força dos EUA na Polônia", destacou White nesta terça-feira.

    Mattis também agradeceu a Blaszczak pelo papel central da Polônia nos esforços de dissuasão dos EUA na Europa Central e de receber até 4.500 soldados americanos em uma base rotativa, acrescentou White.

    Em setembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse aos repórteres que os Estados Unidos estavam considerando estabelecer uma base militar permanente na Polônia. Trump disse que Varsóvia concordou em pagar mais de US$ 2 bilhões para o custo da base, que o presidente polonês Andrzej Duda sugeriu chamar Fort Trump.

    A Rússia já declarou em mais de uma oportunidade que tal movimento, se confirmado, configurará uma nova hostilidade em uma região próxima da fronteira.

    Mais:

    Polexit: a Polônia pode seguir a moda britânica e sair da União Europeia?
    Polônia e EUA fortalecem cooperação no setor energético
    OTAN começa exercícios militares Anakonda 2018 na Polônia
    Tags:
    defesa, russofobia, relações bilaterais, base militar, Fort Trump, Andrzej Duda, Dana White, Mariusz Blaszczak, James Mattis, Donald Trump, Rússia, Polônia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik