16:39 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Vista geral da baía de Noumea, a capital da Nova Caledônia, um território francês no sul do Pacífico.

    Nova Caledônia decide neste domingo se separar ou não da França após 167 anos

    © AP Photo / Theo Rouby
    Europa
    URL curta
    590

    Os eleitores do arquipélago do Pacífico Sul da Nova Caledônia decidirão neste domingo se o território francês deve se separar do país europeu, que reivindica soberania sobre a região desde meados do século XIX.

    O referendo é um evento marcante, nos moldes da descolonização do arquipélago, e espera-se que defina o futuro status da Nova Caledônia como um país independente ou uma extensão da França. Ele está previsto desde 1998, quando o governo local assinou com a França o Acordo de Nouméa prevendo um novo estatuto para o território e a realização de consulta popular sobre a independência.

    A Nova Caledônia, um aglomerado de ilhas, abriga cerca de 270 mil pessoas, das quais 174 mil são eleitores registrados e responderão a  uma pergunta simples: "Você quer que a Nova Caledônia conquiste a soberania plena e se torne independente?"

    De acordo com pesquisas de opinião e resultados eleitorais anteriores, a maioria dos eleitores da escassa população de ilhas prefere permanecer na França.

    O aglomerado de ilhas da Nova Caledônia, ocupada principalmente kanaks étnicos — pessoas de origem europeia e outras de países asiáticos — depende muito da França para Defesa, Relações Exteriores, justiça e Educação. No entanto, goza de um grande grau de autonomia por parte de Paris.

    A Nova Caledônia recebe cerca de 1,3 bilhão de euros (R$5,54 bilhão) em subsídios estatais franceses anualmente, e muitos estão preocupados com uma potencial crise econômica se laços econômicos e políticos com Paris forem cortados, segundo a Fox News.

    Tags:
    Acordo de Nouméa, FOX News, Paris, França, Nova Caledônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik