10:44 18 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Militares limpando os pontos relacionados ao envenenamento de Skripal em Salisbury.

    Rússia: laboratório britânico trabalha com agentes nervosos semelhantes ao Novichok

    © Sputnik / Alex McNaughton
    Europa
    URL curta
    1101

    A Rússia tem absoluta certeza que o laboratório britânico em Porton Down trabalha com agentes nervosos semelhantes ao A-234 (também conhecido como Novichok) que, segundo investigadores britânicos, teria sido utilizado para envenenar o ex-agente russo Sergei Skripal e sua filha Yulia em março, declarou o chefe da delegação russa na sessão da OPAQ.

    "Não há dúvidas de que no Reino Unido o laboratório do Ministério da Defesa, que se situa perto de Salisbury e Amesbury, tem trabalhado com 'Novichoks'. Não seria esse o motivo por trás da recusa de Londres de agir em conformidade com o artigo IX Convenção sobre as Armas Químicas para esclarecimento desta história efêmera?", indagou o chefe da delegação russa na sessão da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), Grigory Kalamanov.

    Ele relembrou que nem o laboratório da OPAQ nem o laboratório em Porton Down conseguem estabelecer o país de origem dos agentes químicos, usados em Salisbury e Amesbury.

    "Há declarações infundadas de que a Rússia teria motivos e oportunidades de usar o chamado Novichok em Salisbury. Ao mesmo tempo, nem o laboratório da OPAQ, nem o laboratório encarregado pelo Secretariado Técnico da OPAQ para realizar a inspeção e nem o laboratório em Porton Down simplesmente não podem estabelecer o país de origem dos agentes químicos, usados em Salisbury e Amesbury", explicou Kalamanov.

    Ele afirmou também que na Rússia "nunca foi produzido ou armazenado o agente químico, denominado Novichok pelo Ocidente".

    O delegado russo acrescentou também que os países ocidentais, por sua vez, estudam vários agentes químicos ligados ao chamado Novichok, sublinhando que apenas nos EUA existem mais de 140 patentes ligadas ao uso defensivo ou até em combate de agentes tóxicos desse tipo.

    No dia 4 de março de 2018, o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia foram achados inconscientes perto de um shopping em Salisbury, no Reino Unido. Londres afirma que eles teriam sido envenenados pela Rússia com a substância A-234 (também conhecida como "Novichok"). Moscou, por sua vez, nega todas as acusações.

    Em 30 de junho, duas pessoas foram internadas na cidade britânica de Amesbury, a poucos quilômetros de Salisbury. A polícia do Reino Unido anunciou que o casal teria sido tratado com um item supostamente contaminado com o mesmo agente nervoso, que teria sido usado em um ataque contra os Skripal, em Salisbury.

    Mais:

    Editora-chefe da Sputnik entrevista 'suspeitos' de envenenamento de ex-espião Skripal
    Embaixador russo: Rússia considera levar alegações britânicas do caso Skripal à ONU
    Kremlin diz que Londres se recusou a cooperar com a Rússia no caso Skripal
    Tags:
    agente nervoso, Novichok, envenenamento, OPAQ, Sergei Skripal, Reino Unido, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik