13:38 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Jeremy Hunt, secretário de Relações Exteriores do Reino Unido

    Reino Unido: Rússia pagará caro se usar armas químicas

    © AP Photo / Matt Dunham
    Europa
    URL curta
    38029

    O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt, ameaçou Moscou neste domingo com graves consequências caso o Kremlin utilize armas químicas, embora a Rússia não possua mais armas desse tipo, com a destruição do seu arsenal químico já tendo sido inclusive confirmada pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ).

    "Sob os conservadores, a Grã-Bretanha tem uma mensagem simples para o Kremlin: se você tentar intimidar esse país, se usar armas químicas, se não seguir as regras internacionais, o preço sempre será alto demais", disse Hunt. na Conferência do Partido Conservador.

    Em 4 de março deste ano, o agente duplo russo Sergei Skripal e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes em um banco de shopping da cidade britânica de Salisbury, com sintomas de envenenamento que logo levaram Londres a acusar Moscou de ter utilizado um agente nervoso na tentativa de assassinar o ex-espião, com uma substância identificada como A-234. Embora o laboratório responsável tenha afirmado que não poderia provar a origem da substância utilizada no ataque, as acusações contra a Rússia continuaram, desencadeando fortes tensões diplomáticas entre os dois países. 

    Moscou sempre negou e segue negando as acusações de envolvimento no ataque, dizendo que o caso Skripal estaria desmoronando devido à falta de provas sobre a suposta participação russa. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia enviou cerca de 60 notas diplomáticas ao Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido exigindo que a Rússia tivesse acesso à investigação e aos Skripals, que têm cidadania russa, além de propor assistência jurídica e cooperação, mas as autoridades britânicas não responderam a nenhuma dessas notas.

    A Rússia também enfatizou que continua comprometida com a Convenção sobre Armas Químicas (CWC), lembrando que seu arsenal de armas químicas foi totalmente destruído, o que foi confirmado pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) em setembro de 2017. 

    De acordo com o presidente russo, Vladimir Putin, ao contrário do seu país, são os Estados Unidos que não cumprem suas obrigações para eliminar suas armas químicas, permanecendo o único grande dono de agentes de guerra química no mundo e adiando seu prazo para a destruição dessas armas para 2023.

    Mais:

    EUA: Daesh usou armas químicas rudimentares em ataques terroristas
    Terroristas entregam barris de cloro em Idlib para ataques com armas químicas
    EUA descartam ter evidências que oposição síria tem armas químicas
    Acusações sobre armas químicas na Síria visam 'manipular percepção pública'
    Tags:
    armas químicas, OPAQ, Kremlin, Vladimir Putin, Jeremy Hunt, Londres, Moscou, Salisbury, Reino Unido, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik