19:32 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Policiais investigando o caso do ex-espião russo Sergei Skripal, em Salisbury (Inglaterra), em 13 de março de 2018

    Casal hospitalizado após passar mal em restaurante de Salisbury recebe alta

    © AP Photo /
    Europa
    URL curta
    0 12

    A Polícia de Wiltshire, condado da Inglaterra, informou hoje que o casal que passou mal no último domingo em um restaurante da cidade de Salisbury, que ganhou notoriedade internacional após o suposto envenenamento de um ex-espião russo, já recebeu alta do hospital.

    Apesar das suspeitas que surgiram após esse novo incidente, as autoridades descartaram a possibilidade de intoxicação pelo agente nervoso A234 (também conhecido como Novichok), o qual, segundo os investigadores britânicos, teria sido utilizado para envenenar o ex-agente russo Sergei Skripal e sua filha Yulia em março, em um local próximo ao dessa nova ocorrência.

    "As duas pessoas levadas para o Hospital de Salisbury após o incidente no centro da cidade na noite de domingo receberam alta. Nós não estamos tratando esse incidente como suspeito."

    Ex-oficial do Departamento Central de Inteligência (GRU), a agência de inteligência militar russa, Skripal, condenado em seu país por traição, foi encontrado inconsciente, junto com sua filha, em um banco de shopping em Salisbury no início de março. De acordo com as autoridades britânicas, eles teriam sido vítimas de uma tentativa de assassinato por envenenamento, atribuída por Londres ao governo russo. Moscou, no entanto, nega qualquer envolvimento no episódio, insistindo que o Reino Unido deveria apresentar provas em vez de fazer acusações sem fundamento. 

    Mais:

    Polícia britânica fecha restaurante após duas pessoas passarem mal em Salisbury
    EUA, França, Alemanha e Canadá apoiam avaliação de Londres quanto ao ataque de Salisbury
    Tags:
    A234, envenenamento, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Salisbury, Inglaterra, Londres, Reino Unido, Moscou
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik