14:48 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Vida cotidiana em Donetsk (foto de arquivo)

    Explosão que matou líder da República de Donetsk causa 2ª morte

    © Sputnik / Sergei Averin
    Europa
    URL curta
    Aleksandr Zakharchenko morre em atentado (15)
    214

    O segundo morto no atentado que abalou o centro da cidade de Donetsk ontem (30) era o guarda-costas do líder da República Popular de Donetsk, Aleksandr Zakharchenko, disse à Sputnik Vladislav Brig, vice-presidente do Comitê de Política Externa e Relações Internacionais do Conselho Popular da RPD.

    "Segundo os últimos dados, junto com Aleksandr Zakharchenko morreu o guarda-costas dele, [além disso], houve 11 feridos no total, seis deles estão hospitalizados", disse.

    Mais cedo, a edição russa Kommersant revelou que, segundo suas fontes, os explosivos detonados tinham sido escondidos em um dos objetos de iluminação, provavelmente em uma luminária ou lustre, e ativados através de uma chamada de celular.

    O jornal assegura que o café Separ, onde ocorreu o atentado, era um dos lugares mais visitados por Zakharchenko, o que indica que seu assassino provavelmente teria se infiltrado no seu círculo de pessoas mais chegadas para perpetuar o planejado. Agora, as forças de segurança da república estão montando uma investigação, prestando uma atenção especial aos mais próximos do ex-líder da RPD.

    Agora é assim que está o local da morte do líder da RPD, Zakharchenko, em Donetsk

    Em relação à morte de Zakharchenko, as autoridades da república autoproclamada anunciaram um luto de 3 dias, atrasaram o início do ano letivo de 1º para 4 de setembro e reforçaram as medidas de segurança.

    Tema:
    Aleksandr Zakharchenko morre em atentado (15)

    Mais:

    Líder da República Popular de Donetsk morre na sequência de explosão
    Morre o senador dos EUA John McCain
    Morre ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan
    Tags:
    explosão, acidente, Aleksandr Zakharchenko, Donetsk, Donbass
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik