22:31 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Ministro do Interior da Alemanha defende que país deve assumir papel de liderança em segurança cibernética a nível internacional

    Alemanha busca independência dos EUA em cibersegurança

    CC0
    Europa
    URL curta
    151

    A Alemanha anunciou nesta quarta-feira a criação de uma nova agência para financiar pesquisas de ponta em segurança cibernética e acabar com a sua dependência de tecnologias digitais de outros países, como, principalmente, os Estados Unidos.

    Em conversa com jornalistas, o ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, disse que o país precisa de novas ferramentas para se tornar um ator de destaque no campo da cibersegurança, de forma a reforçar a segurança e a independência não apenas nacionais, mas também de toda a Europa. 

    "É nosso objetivo comum que a Alemanha assuma um papel de liderança em segurança cibernética a nível internacional", disse Seehofer durante coletiva de imprensa com a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, citado pela agência Reuters. "Temos que reconhecer que estamos ficando para trás e, quando se está ficando para trás, são necessárias abordagens completamente novas."

    "A Alemanha investirá € 200 milhões nos próximos cinco anos para lançar sua própria agência no estilo DARPA [Agência de Projetos de Pesquisa Avançada da Defesa dos EUA], que desenvolverá suas próprias capacidades de defesa cibernética, disseram o ministro do Interior da Alemanha, Horst Seehofer, e a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, aos jornalistas mais cedo."

    Ainda de acordo com a Reuters, a Alemanha é um dos muitos países que têm enfrentado uma grande quantidade diária de tentativas de ataques cibernéticos contra redes governamentais e industriais, sendo a Rússia, a China, o Irã e a Coreia do Norte frequentemente identificados como maiores ameaças. Além disso, o país também tem como fonte de preocupação a grande dependência em relação a tecnologias norte-americanas, sobretudo após a revelação, por Edward Snowden e também pelo WikiLeaks, nos últimos anos, das intensas atividades de espionagem mantidas pelo governo dos Estados Unidos contra seus aliados.

    "Como governo federal, não podemos ficar de braços cruzados quando o uso de tecnologia sensível com alta relevância de segurança é controlado por outros governos. Precisamos garantir e expandir essas tecnologias-chave da nossa infraestrutura digital", destacou Seehofer. 

    Mais:

    Cibersegurança da França não vê pista russa em ataques contra campanha de Macron
    Embaixador: Rússia propôs cooperação de cibersegurança aos EUA, mas não obteve resposta
    Conselheiros de BRICS concordam reforçar cibersegurança comum
    Tags:
    segurança cibernética, cibersegurança, WikiLeaks, Reuters, Ursula von der Leyen, Horst Seehofer, Coreia do Norte, Irã, China, Rússia, EUA, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik