16:29 21 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Mulher em uma praia (imagem referencial)Moscovitas descansam na praia no bairro de Strogino, em Moscou

    Feministas francesas são zombadas por crer que cartões sexy 'promovem cultura do estupro'

    © Foto: Pexels © Sputnik / Kirill Kallinikov
    1 / 2
    Europa
    URL curta
    12134

    Um grupo feminista francês declarou guerra aos cartões postais com mulheres seminuas, os quais elas consideram que "degradam" e contribuem para a "cultura do estupro".

    O grupo Femmes Solidaires (Mulheres Solidárias) alega que os cartões postais "sexistas e algumas vezes pornográficos" representam mulheres como um "objeto que pode ser consumido e descartado sob o pretexto do prazer e entretenimento".

    Na cruzada do movimento feminista para banir os cartões, o grupo utilizou o Twitter como ferramenta para encorajar seus 30.000 membros e outros apoiadores para que fiquem atentos aos cartões postais "sexistas" e para que informem onde estão sendo vendidos.

    Os cartões postais também estão sendo vendidos em Arcachon. Diga pare, avante com o @Femmessolidaire.

    Um dos cartões postais mais populares retrata mulheres de costas vestindo biquínis, com a legenda "Grandes Beijos de Roussillon", enquanto outro retrata uma ciclista vestindo um biquíni fio dental.

    ​Enquanto as feministas alegaram que os cartões postais "contribuem para a cultura do estupro, impondo uma imagem degradante das mulheres e ajudando a legitimar e normalizar a violência contra as mulheres", a iniciativa para banir os cartões parecem não ter obtido apoio na mídia social.

    ​A maioria dos usuários do Twitter não aprovou a ideia, com alguns deles sugerindo que a "histeria" em torno dos cartões postais que apoiariam a "cultura do estupro" deve ser contida.

    ​Nós precisamos parar com essa histeria! As mulheres que posam para esse tipo de anúncio ou outros não são pobres garotas que precisam de vocês, elas decidiram fazer estas fotos, vocês não vão impor seus ideais em ninguém, especialmente em outras mulheres.

    ​Se um cartão sexual for um problema para vocês, isso é um problema de vocês, vocês distorcem para enxergar a ‘cultura do estupro'.

    Alguém disse que os membros do grupo deveriam encontrar algo mais para fazer ao invés de lançar campanhas que "ninguém se importa":

    ​Arranjem uma vida.

    Parem com a cultura de pessoas que não sabem o que fazer com suas vidas e preenchem esse vazio embarcando em brigas ridículas que ninguém se importa. Dê a elas um videogame ou qualquer coisa para mantê-las ocupadas.

    Obrigado por postar aqueles cartões postais, os quais eu nunca teria visto mesmo se eu fosse à loja de presentes todos os dias. Bom trabalho garotas!

    Outros sugeriram que o grupo Femmes Solidaires precisaria ser "banido" ao invés dos cartões postais:

    Sim, eu sou a favor do banimento do Femmes Solidaires!

    Sim, precisamos proibir este grupo.

    A campanha feminista contra os cartões postais "sexistas" iniciou rapidamente após o Parlamento francês adotar a ilegalidade da violência sexual e assédio em público, punindo os acusados com multas superiores a 750 euros (em torno de 3.220 reais).

    O valor foi alterado apenas após uma jovem francesa ser agredida em público por ter respondido aos insultos, comentários e assobios de um pedestre. O incidente deflagrou um protesto nacional, com a Ministra de Igualdade de Gênero, Marlene Schiappa, requisitando uma forte responsabilidade política contra o assédio na rua. 

    Mais:

    Estudante brasileira apresenta ao BRICS aplicativo de combate ao assédio sexual
    Tags:
    sexismo, cultura do estupro, assédio sexual, feministas, Roussillon, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik