21:20 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Adolf Hitler por volta de 1930

    Polêmica: líder da direita alemã chama de 'traidor' nazista que tentou matar Hitler

    © AP Photo /
    Europa
    URL curta
    361

    Um líder local do partido da direita alemã Alternativa para a Alemanha (AfD) foi criticado nas redes sociais - e por seu próprio partido - depois de chamar Claus von Stauffenberg, um homem que liderou um plano para assassinar Adolf Hitler, de "covarde" e "traidor".

    Von Stauffenberg liderou um grupo de oficiais da Wehrmacht em uma tentativa frustrada de matar Hitler, no final de julho de 1944, durante a Operação Valquíria. Ele foi executado por um pelotão de fuzilamento após a tentativa fracassada. Na Alemanha moderna, muitos consideram Von Stauffenberg, uma das figuras centrais da resistência alemã, um herói.

    No entanto, Lars Steinke, chefe da ala jovem da AfD na Baixa Saxônia, rebateu essa opinião em uma declaração contundente, dizendo que o oficial nazista era "um inimigo da nação alemã" e seu "inimigo pessoal".

    Durante uma discussão privada no Facebook, citada pela mídia local, Steinke sugeriu que a ação de Von Stauffenberg na verdade representava "uma tentativa vergonhosa de um covarde" que "queria salvar sua própria pele diante dos vencedores".

    Duplicando nisso, o político afirmou: "Stauffenberg era um traidor que estava pronto para sacrificar milhões de vidas sem nenhum benefício notável para a nação alemã".

    Steinke argumentou que a guerra não era contra Hitler, mas contra a Alemanha. Assim, "eliminar" o líder nazista não teria parado o derramamento de sangue. Ele até alegou que as consequências de um assassinato bem-sucedido de Hitler teriam sido ainda mais graves do que o que aconteceu.

    O político causou um alvoroço nas mídias sociais, mesmo entre seus próprios membros do partido. De acordo com o porta-voz federal da AfD, Joerg Meuthen, os comentários de Steinke eram "completamente inaceitáveis" e "revelam uma compreensão absurda da história e não têm absolutamente nenhum lugar" na sigla. O político prometeu que o conselho federal da AfD vai debater o assunto na próxima semana.

    O co-líder da AfD, Alexander Gauland, foi ainda mais longe, chamando as afirmações de Steinke de "bobagem sem fundo". "Stauffenberg é um herói da história alemã. Steinke se desqualificou da AfD. Ele deveria ser excluído", observou Gauland.

    Steinke, em seguida, foi ao Facebook para pedir desculpas por sua explosão, dizendo que suas declarações "eram muito duras e agressivas", prometendo não escrever essas coisas novamente. "Eu gostaria de enfatizar que eu não queria atacar a resistência contra Adolf Hitler", declarou.

    No entanto, suas desculpas não puderam conter a tempestade de comentários negativos nas mídias sociais. "O objetivo de Von Stauffenberg era que pessoas como você não tivessem lugar no cenário político", escreveu uma pessoa.

    A página de Steinke no Facebook estava repleta de comentários furiosos, incluindo palavras e frases como "vergonha", "você deveria pensar, depois escrever" e "você deveria renunciar imediatamente".

    Mais:

    Como Stalin soube da morte de Hitler?
    Novo documentário revela como a URSS venceu Hitler na Segunda Guerra Mundial (VÍDEO)
    Visite o bunker nazista labiríntico projetado para esconder tropas de Hitler (VÍDEO)
    Tags:
    traidor, herói, atentado, Segunda Guerra Mundial, nazistas, nazismo, Operação Valquíria, Wehrmacht, AfD, Adolf Hitler, Claus von Stauffenberg, Europa, Baixa Saxônia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik