07:57 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    O navio Aquarius ao fundo enquanto imigrantes são resgatados pela organização SOS mediterrâneo. Foto de 14 de setembro de 2017.

    Espanha aceita novo navio de refugiados impedidos de entrar na Itália

    © REUTERS / Tony Gentile/File Photo
    Europa
    URL curta
    103

    O governo espanhol decidiu deixar mais um navio com imigrantes a bordo, que foi impedido de entrar na Itália e em Malta, a entrar no porto de Barcelona, disse o prefeito da cidade, Ada Colau.

    O navio Braços Abertos pertence à organização não governamental espanhola Proactiva. No início da noite deste sábado (30), a 53 km da costa da Líbia, o navio embarcou 59 imigrantes, que tentaram chegar à Itália em um barco de borracha.

    O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, escreveu em sua página no Twitter que o país não aceitaria o navio, enquanto o governo espanhol permitiu que o navio entrasse no porto de Barcelona.

    "Graças ao governo e ao [primeiro ministro] Pedro Sanchez, eles permitiram que o navio Braços Abertos e 60 pessoas resgatadas chegassem a Barcelona", escreveu Colau em sua página no Twitter neste sábado (30).

    Os navios transportam imigrantes da Palestina, do Sudão do Sul, do Mali, de Burkina Faso, da Síria, do Costa do Marfim, da Eritreia, da República Centro-Africana, de Camarões, da Etiópia, da Líbia, de Bangladesh e da Guiné. Há várias crianças a bordo do navio.

    Em junho, a Itália se recusou a permitir a entrada em dois navios de resgate que transportavam imigrantes. A Espanha permitiu que um primeiro navio, o Aquarius com mais de 600 pessoas a bordo, atracasse em Valência, mas impediu a entrada de outro, o Lifeline.

    Mais:

    Jordânia vai fechar fronteiras para refugiados sírios
    Rússia vai doar US$ 6 milhões para a Agência da ONU para refugiados palestinos
    Para Macron, encontro informal da UE trouxe consensos sobre crise de refugiados
    Premiê sueco defende sistema unificado para refugiados na Europa
    Merkel dá sinais do que pensa sobre política de asilo aos refugiados na Europa
    Organizações internacionais dificultam retorno de refugiados sírios, diz Hezbollah
    Tags:
    crise de imigrantes, imigrantes, refugiados, Proactiva, Open Arms, Matteo Salvini, Pedro Sanchez, Costa do Marfim, Guiné, Bangladesh, Líbia, República Centro-Africana, Eritreia, Itália, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik