14:11 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Um carro alegórico representando o presidente da França, Emmanuel Macron, em Mainz, Alemanha.

    Macron planeja tornar francês o idioma dominante da União Europeia após o Brexit

    © AP Photo / Andreas Arnold/dpa
    Europa
    URL curta
    120
    Nos siga no

    Com o Reino Unido deixando a União Europeia, o presidente francês prepara uma 'revanche linguística'. Ele aspira tornar o francês o principal idioma em comunicações da UE. A ideia conta com o apoio lobistas poderosos no bloco.

    O presidente da França, Emmanuel Macron, estabeleceu uma cruzada linguística contra o uso do inglês em instituições da União Europeia, enquanto pretende restituir a hegemonia francesa com uma série de medidas, de acordo com uma reportagem do The Wall Street Journal.

    A empresa citou o líder francês dizendo que quer “estabelecer algumas regras, estar presente e fazer do francês a língua com a qual se tem acesso a várias oportunidades”. Sua lista inclui mais aulas de francês para funcionários da UE, bem como promover as escolas internacionais francófonas.

    Como seu comentário de março sobre o assunto revelou, essas aspirações foram motivadas pelo Brexit. Depois que o maior membro de língua inglesa sair da UE, a parcela daqueles que falam o idioma como primeira língua cairá de 12,8% dos cidadãos da UE para 1,2%, restando apenas Malta e Irlanda.

     “O inglês provavelmente nunca esteve tão presente em Bruxelas como quando estamos falando do Brexit. Essa dominação não é inevitável”, disse Macron no Dia da Francofonia, celebrando a língua francesa.

    A retórica decisiva de Macron foi apoiada pelo enviado francês à UE Philippe Léglise-Costa. Em abril, o recém-nomeado embaixador do bloco deixou uma reunião de orçamento porque o inglês era a única língua de trabalho, de acordo com o WSJ.

    Além de seu diplomata, Macron encontrou um defensor para restaurar o francês como a principal língua da UE: o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que nasceu em Luxemburgo.

    “Por que a língua de Shakespeare seria superior à de Voltaire? (…) Estamos errados em nos tornar tão anglicizados ”, disse Juncker, que prefere comentários públicos em alemão e francês para declarações oficiais na TV francesa.

    O inglês tornou-se o idioma padrão da União depois que o Reino Unido se uniu ao bloco em 1973, relegando o francês a idioma secundário. De acordo com a equipe de tradução do bloco, citado pelo WSJ, 81% dos documentos da UE são redigidos em inglês, enquanto a documentação em francês tem apenas 5% de participação.

    Tags:
    Brexit, Dia da Francofonia, Comissão Europeia, União Europeia, The Wall Street Journal, Voltaire, Emmanuel Macron, Jean-Claude Juncker, Shakespeare, Philippe Léglise-Costa, Luxemburgo, Reino Unido, Irlanda, Malta, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar