18:53 18 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras da Grécia e do Chipre.

    Após resolver pendência diplomática histórica com Macedônia, Grécia mira Chipre e Albânia

    CC0 / Pixabay
    Europa
    URL curta
    0 32

    Grécia e Macedônia alcançaram um acordo histórico pela mudança de nome do segundo país, que de acordo com os gregos incitava disputas territoriais no norte do país. Se a mudança for aprovada em referendo, a nação se chamará República Macedônia do Norte, pondo fim a uma disputa de 25 anos. Agora, Atenas espera resolver seus problemas com o Chipre.

    "A política externa de nosso governo é ativa, democrática e multifacetada. Portanto, usando essas condições, resolvemos o problema [do nome], que existe formalmente há 25 anos, mas de fato há 70 anos… E agora também temos que resolver o problema. Questões que existiram por 30 e até 60 anos em relação à Albânia. E espero que voltemos a abordar a questão de Chipre de forma adequada e terminá-la. Esta é uma questão mais difícil do que as duas anteriores ", disse o ministro das Relações Exteriores da Grécia, Nikos Kotzias após a reunião com seu homólogo da Rússia, Sergei Lavrov.

    Por causa da disputa de nomenclatura, a Grécia vinha ao longo de décadas sabotando a entrada da Macedônia em organizações internacionais. Os gregos argumentavam que os vizinhos tentavam reivindicar a província grega homônima. Além disso, Atenas insistia que o país tentava usurpar a história da Macedônia Antiga, lar de Alexandre, o Grande, que era grego. Por causa da disputa, a nação só conseguiu acesso à ONU com o nome Antiga República Iugoslava da Macedônia (FYROM na sigla em inglês), tendo seu acesso à União Europeia e à OTAN barrado até que se resolvesse a pendência.

    No caso com os albaneses, a questão é mais complexa. A Grécia e a Albânia discordam sobre a chamada questão Cham a expulsão forçada de milhares de albaneses muçulmanos Cham da região grega de Épiro ocidental depois da Segunda Guerra Mundial sob acusação de colaboracionismo com os nazi-fascistas. A Albânia pede desculpas formais de Atenas, a restauração da cidadania grega (mantendo a cidadania do país de residência atual), a restauração de suas propriedades, compensação financeira e direitos equivalentes aos que a minoria grega possui na Albânia. A Grécia considera a questão resolvida e não toca no assunto desde 1994.

    Já o Chipre está dividido entre duas comunidades: os cipriotas gregos e turcos. A porção norte do local se rebelou contra uma possível anexação pela Grécia e, com a ajuda da Turquia, criou uma nação independente de facto: o Chipre do Norte, sem reconhecimento da ONU. As duas comunidades estão envolvidas em negociações de paz há anos, mas nenhum acordo final foi alcançado ainda.

    Tags:
    Segunda Guerra Mundial, ONU, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Ministério das Relações Exteriores da Grécia, Sergei Lavrov, Alexandre, o Grande, Nikos Kotzias, Épiro, Turquia, Chipre do Norte, Albânia, Grécia, Macedônia Antiga, República da Macedônia do Norte, Antiga República Iugoslava da Macedônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik