02:15 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Soldados dos EUA durante as manobras Siber Strike 2018 na Lituânia

    Quem fica mais prejudicado com os exercícios da OTAN no Báltico?

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Europa
    URL curta
    2131

    O especialista militar Aleksandr Zhilin, na entrevista à Sputnik Lituânia, disse que quem fica mais prejudicado com as manobras da OTAN são os povos dos países bálticos.

    Conforme ele, poucos levam em conta que a OTAN, posicionando um contingente militar no Báltico, concentra forças nesta região e, assim, coloca a população destes países em risco, porque de fato de trata da confrontação direta com a Rússia.

    "Infelizmente, poucos entendem que os anglo-saxões, ao posicionar lá [no Báltico] um contingente (é mesmo um contingente, porque as manobras, as outras manobras, são um mero pretexto para a implantação de equipamento militar), concentram lá forças e assim põem em risco os povos destes países. Porque de fato se trata da confrontação direta com a Federação da Rússia", detalhou.

    "Não podemos evitar reagir a essa situação", reforçou.

    De 3 a 15 de junho, a Aliança Atlântica realiza as manobras Saber Strike 2018 na Polônia e países bálticos, com a participação de 18.000 militares dos países da OTAN e de alguns aliados da aliança.

    Mais:

    Moscou: OTAN coloca em risco a segurança dos países bálticos
    'Momento histórico': Suécia remilitariza sua maior ilha do Báltico
    Polícia Aérea da OTAN escolta aviões militares russos sobre mar Báltico
    Tags:
    exercícios, manobras, OTAN, Rússia, Países Bálticos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik