09:56 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Parceiros norte-americanos e estônios treinam em conjunto (foto de arquivo)

    Ex-presidente estoniano ameaça que Rússia pode perder várias cidades grandes

    CC0 / U.S. Army Europe Images
    Europa
    URL curta
    391249

    O ex-presidente da Estônia, Toomas Hendrik Ilves, afirmou nesta segunda-feira (4), que em caso de um provável ataque contra seu país, a Rússia pode perder várias cidades grandes.

    Quando perguntado sobre a existência de uma ameaça russa em relação à Estônia, o ex-presidente explicou que "no sentido militar", hoje em dia essa ameaça não existe.

    De acordo com ele, tal situação é a "vantagem" de seu país ser integrante da OTAN.

    "Claro que a Rússia pode vir a atacar a Estônia, contudo, depois ela pode acabar perdendo Omsk e Tomsk, sem sequer falar de São Petersburgo", afirmou Ilves em entrevista à edição ucraniana Evropeiskaya Pravda.

    Entretanto, o ex-mandatário frisou que a "ameaça" principal, apresentada para seu país por parte da Rússia, é "estar desacreditando" a Estônia, o que, segundo ele, já dura por 27 anos.

    Ultimamente, políticos dos países do Báltico têm denunciado o alegado crescimento da "ameaça" por parte da Rússia. Em 2016, durante a cúpula da OTAN em Varsóvia, foi tomada a decisão sobre o posicionamento de contingentes militares da aliança na Letônia, Lituânia, Estônia e Polônia.

    Por sua vez, Moscou desmentiu repetidamente essa "ameaça", afirmando que não pretende atacar nenhum país da OTAN, mas que a aliança aproveita com essa desinformação para aumentar sua presença perto das suas fronteiras orientais com a Rússia.

    Mais:

    Estônia começa maiores manobras militares na história do país
    O que 8 aviões suecos de combate fazem na Estônia?
    Estônia dá início aos exercícios Talvelaager 2018 com militares da OTAN
    Tags:
    cidades, ameaça, Rússia, Estônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik