15:36 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Sistema da defesa antimíssil THAAD

    EUA negociam instalação do sistema de mísseis THAAD na Alemanha, diz agência

    CC BY 2.0 / U.S. Missile Defense Agency / THAAD
    Europa
    URL curta
    548

    Os militares dos Estados Unidos conduziram conversas preliminares com a Alemanha para disponibilizar o seu sistema de defesa antimísseis THAAD no país, a fim de aumentar a segurança europeia, disseram fontes à Agência Reuters.

    O envio da Área de Defesa de Alta Altitude (THAAD) para a Base Aérea de Ramstein, que hospeda a sede da Força Aérea dos EUA na Europa e o Comando Aéreo Aliado da OTAN, foi discutido, declarou uma autoridade militar norte-americana à agência.

    "Seria mais uma mensagem política para os europeus que levamos a sério a proteção de nossos aliados", informou a autoridade.

    Berlim estava aberta à mudança, que, segundo a administração alemã, ajudará a proteger melhor as populações civis, acrescentou outra fonte. A Reuters também citou um alto funcionário militar alemão, que sublinhou a necessidade de mais radares no continente europeu, para melhor rastrear e monitorar ameaças potenciais.

    A Alemanha será formalmente notificada se os EUA seguirem em frente com a implantação do THAAD, apesar de Washington não precisar da permissão de Berlim para mover o sistema, de acordo com os acordos existentes, comentaram as fontes.

    A notícia surgiu em meio a tensões entre os EUA e a União Europeia (UE), causadas pelo impasse tarifário e pela decisão do presidente estadunidense Donald Trump de retirar-se do acordo nuclear com o Irã.

    Em maio, a chanceler alemã Angela Merkel chegou a afirmar que "não é mais o caso de os EUA simplesmente nos protegerem", pedindo à Europa que "tome seu destino em suas próprias mãos".

    No entanto, não houve confirmação oficial das negociações ou da intenção dos EUA de colocar o sistema na Alemanha. O porta-voz do Pentágono, Eric Pahon, disse que "atualmente não há planos para instalar sistemas THAAD na Alemanha. Não discutimos o potencial futuro planejamento militar, já que não queremos sinalizar nossa intenção a potenciais adversários".

    O Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, que supervisiona as tropas estrangeiras estacionadas no país, também se recusou a confirmar que estava enviando sinais a Washington sobre uma possível implantação do THAAD.

    O THAAD é um sistema de defesa antimísseis balísticos projetado para interceptar mísseis balísticos de curto, médio e médio alcance, e é produzido pela Lockheed Martin desde 2008.

    Recado para a Rússia?

    Os EUA têm insistido que estão colocando elementos de escudo antimísseis na Europa, incluindo Polônia e Romênia, a fim de combater o desenvolvimento de mísseis balísticos do Irã. Mas Moscou vê as ações norte-americanas como uma ameaça direta à sua segurança, argumentando que, junto com o atual avanço da OTAN perto das fronteiras da Rússia, aumenta as tensões na região e, de fato, torna a Europa menos segura.

    Há alguns meses, o vice-ministro da Defesa da Rússia, Alexander Fomin, disse que os sistemas norte-americanos na Europa faziam parte do plano global de Washington para cercar a Rússia com centenas de mísseis.

    "Locais de defesa antimísseis já foram instalados em solo norte-americano na Califórnia e no Alasca", ponderou Fomin, acrescentando que o Japão também aprovou a implantação dos sistemas Aegis Ashore, enquanto a Coreia do Sul já instalou o THAAD.

    Na semana passada, o chefe do Comando Europeu dos EUA, general Curtis Scaparrotti, disse que precisava de mais tropas e equipamentos para fazer "um trabalho melhor de dissuadir a Rússia e nos colocar em melhor posição para entender como a Rússia funciona".

    Scaparrotti também disse que "a avaliação inicial é que a Alemanha provavelmente não teria problemas com a implantação do THAAD".

    Mas muitos na Alemanha estão descontentes com uma grande presença militar dos EUA no país. No início desta semana, centenas de veículos militares dos EUA, que estavam a caminho da Polônia como parte do maior movimento de tropas dos EUA no país desde a Guerra Fria, foram recebidos por manifestantes com faixas dizendo "Ami, vá para casa!" e " Não para a Terceira Guerra Mundial".

    Em 2017, milhares protestaram do lado de fora da Base Aérea de Ramstein por seu envolvimento nas operações de drones do Pentágono. Espera-se que uma ação semelhante ocorra novamente no final de junho, com o organizador Reiner Braun dizendo ao site Stars and Stripes que ele espera que cerca de 5.000 manifestantes bloqueiem completamente o acesso à base americana.

    Mais:

    Ouviu, Merkel? Trump promete 'enquadrar' países que não gastam o bastante na OTAN
    Não é 'fetiche': Merkel defende aumento de gastos militares da Alemanha
    Merkel: Europa não pode mais depender dos EUA para sua defesa
    Tags:
    thaad, militares, segurança, defesa aérea, sistema antiaéreo, União Europeia, OTAN, Curtis Scaparrotti, Eric Pahon, Angela Merkel, Donald Trump, Ramstein, Estados Unidos, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik