02:44 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    A chefe do FMI, Christine Lagarde, discursa durante um evento em Viena em 17 de junho de 2016

    FMI: 'Todo mundo perde em uma guerra comercial'

    © REUTERS / Leonhard Foeger
    Europa
    URL curta
    512

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu aos países que resolvam os desentendimentos comerciais de forma construtiva ao invés de entrar em guerras comerciais que acabam prejudicando as economias, afirmou Gerry Rice em comunicado nesta quinta-feira (31)

    A declaração veio logo após os EUA divulgarem que cobrarão taxas de aço e alumínio da União Europeia (UE), México e Canadá, considerados países parceiros.

    "Todo mundo perde em uma guerra comercial prolongada, nós encorajamos os países a trabalhar construtivamente  para reduzir as barreiras comerciais e resolver desacordos sem recorrer a medidas excepcionais", disse Rice.

    Rice acrescentou que é lamentável que as tensões comerciais estejam aumentando em um momento em que o comércio global apoia uma recuperação econômica.

    O comunicado também mencionou uma mensagem no Twitter da Diretora do FMI, Christine Lagarde, que recentemente disse que as pessoas mais pobres são as que mais sofrerão se a confiança entre os atores econômicos for prejudicada por problemas comerciais.

    Mais cedo nesta quinta-feira (31), o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, anunciou que tarifas de 25% sobre aço importado e de 10% sobre alumínio, seriam impostas contra a UE, Canadá e México a partir da meia-noite de hoje.

    Tanto UE, quanto México e Canadá anunciaram medidas de retaliação contra os Estados Unidos.

    Mais:

    EUA querem ver desejo da Rússia de melhorar relações bilaterais no trabalho com Pyongyang
    Auf Wiedersehen, BMW: Trump quer 'banir' carros alemães dos EUA
    Trump diz que EUA e Coreia do Norte podem realizar várias cúpulas pela desnuclearização
    Tags:
    guerra comercial, tarifas, FMI, Gerry Rice, Christine Lagarde, Wilbur Ross, União Europeia, México, Canadá, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik