10:32 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Uma família cigana na aldeia sérvia de Priluzhye, na parte albanesa do Kosovo. (Arquivo)

    Aumenta número de albaneses do Kosovo pedindo passaporte da Sérvia

    © Sputnik / Ruslan Krivobok
    Europa
    URL curta
    414

    Os meios de comunicação do Kosovo relatam um aumento no número de albaneses que solicitam passaportes sérvios que eles usam para deixar Kosovo e tentar ganhar dinheiro na Europa Ocidental. 10 anos após a autoproclamada independência do país, a União Europeia não parece flexível quanto a liberar o regime de visto aos cidadãos de lá.

    Como explicou um político local em Pristina, Ljubinko Karadzic, em uma entrevista ao "Evening News" de Belgrado, os cidadãos de Kosovo renovam seus passaportes sérvios, mas também há muitos jovens albaneses que estão recebendo um passaporte sérvio pela primeira vez.

    Os albaneses com passaportes sérvios e registo no Kosovo, ao contrário dos residentes de outras regiões da Sérvia, não podem usufruir dos benefícios da chamada lista branca do Espaço Schengen e viajar para países europeus com fronteiras abertas sem visto. Para isso, eles precisam obter registro na Sérvia, o que alguns albaneses de Kosovo conseguem com relativa facilidade, especialmente nas regiões do sul do país povoadas por compatriotas albaneses.

    Então, o que faz os albaneses do Kosovo solicitarem um passaporte sérvio? A razão é que a “República do Kosovo” não oferece aos seus cidadãos viagens sem visto para a Europa. O primeiro-ministro da autoproclamada república, Ramush Haradinaj, havia prometido que os cidadãos de Kosovo poderiam viajar para a Europa sem vistos até o final de março de 2018, ou seja, dez anos depois da declaração de "independência".

    No entanto, em vez da liberalização do regime de vistos, Pristina recebeu uma declaração do Comissário Europeu para o Alargamento e Política de Vizinhança, Johannes Hahn, que apelou ao Kosovo a lutar de forma mais rigorosa contra o crime organizado.

    Deve-se notar que esta não é a primeira vez que os passaportes sérvios estão em alta demanda. Em 2010, no segundo ano após a “República do Kosovo” declarar sua independência, a publicação “Koha Ditore” escreveu que os albaneses do Kosovo estavam dispostos a pagar €5.000 cada para receber o passaporte biométrico desejado do “estado vizinho”. E em fevereiro de 2015, o ministro do interior sérvio Nebojsa Stefanovic, disse que autoridades processaram cerca de 60.000 pedidos de passaportes sérvios de albaneses do Kosovo.

    O cientista político Dragomir Andjelkovic disse à Sputnik que este pode ser o indício do fracasso do projeto independente do estado de Kosovo.

    "Um país que, com o apoio do Ocidente, não pode garantir a liberalização de vistos e oferecer algo para sua geração mais jovem se depara com o fato de que os moradores, apesar de sua atitude negativa em relação à Sérvia, decidem obter cidadania sérvia", afirmou.

    Segundo ele, não se trata apenas da "fuga econômica" do quase-Estado, mas também da adoção da cidadania de um país que muitos albaneses são forçados a ver como "um Estado inimigo".

    Há três anos, a Sérvia reforçou o controle sobre a emissão de passaportes, temendo que a saída de um grande número de albaneses com documentos sérvios para a Europa pudesse colocar em risco seu próprio regime de isenção de vistos com a União Europeia.

    Tags:
    União Europeia, Evening News, Koha Ditore, Dragomir Andjelkovic, Ljubinko Karadzic, Ramush Haradinaj, Nebojsa Stefanovic, Albânia, Bruxelas, Europa, Ocidente, Pristina, Belgrado, Sérvia, Kosovo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik