20:03 19 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Papa Francisco é visto no Palácio Apostólico no Vaticano, onde, em reunião formal com os cardeais, foi feita a escolha da data exata para um ofício religioso de canonização de novos santos, em 20 de abril de 2017

    Vaticano condena ganância no mundo e alerta sobre bomba-relógio 'financeira'

    © AP Photo / L´Osservatore Romano
    Europa
    URL curta
    332

    O Vaticano pediu mais regulamentação dos mercados e sistemas financeiros, dizendo que as crises econômicas mostraram que eles não eram capazes de se governar e precisavam de uma forte injeção de moralidade e ética.

    Em um importante documento, escrito por dois importantes departamentos da Santa Sé, o Vaticano disse que o lucro pelo lucro e não pelo bem maior é "ilegítimo".

    Também condenou uma "cultura imprudente e amoral de resíduos" que criou oligarquias em alguns países, deixando grandes massas de pessoas empobrecidas "sem qualquer meio de fuga".

    O documento também atacou o "canibalismo econômico" de algumas práticas financeiras.

    O documento de 15 páginas usava ações de crédito, hipotecas subprime, negociações de alta frequência, swaps de crédito, derivativos, sistemas bancários paralelos, saídas de capital e empréstimos interbancários para ilustrar o que é vulnerável a abusos e ilegalidade. Também citou os salários dos executivos.

    Embora o bem-estar material de uma grande parte da humanidade dependesse dos mercados, eles precisam ter uma forte base ética para ajudar a todos, disse o Vaticano.

    "A recente crise financeira pode ter proporcionado a oportunidade de desenvolver uma nova economia, mais atenta aos princípios éticos, e uma nova regulamentação das atividades financeiras que neutralizaria as tendências predatórias e especulativas e reconheceria o valor da economia atual", afirmou.

    Mais regulamentação foi necessária, de acordo com a Igreja Católica, que chamou "o comportamento imoral dos agentes no mundo financeiro", uma das principais razões para a mais recente crise econômica.

    Até hoje, alguns tipos de derivativos eram uma bomba-relógio prestes a explodir, envenenando a saúde dos mercados. O Vaticano pediu a separação dos bancos para evitar outra crise, dizendo que comitês éticos deveriam ser estabelecidos em bancos e que mais cursos de ética deveriam ser ministrados nas principais escolas de administração.

    Mais:

    Exorcismo está em alta no Vaticano
    Vaticano elogia cessar-fogo na Síria
    Ameaça de terror: grupo ligado ao Daesh promete atacar o Vaticano no Natal
    Tags:
    ganância, ricos, mercado financeiro, pobres, lucro, desigualdade, bancos, economia, Papa Francisco, Vaticano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar